terça-feira, 6 de novembro de 2012

A história da Tamires


Esse relato é um pouco diferente dos outros que já publiquei aqui. Pela primeira vez, temos uma cura rápida e “simples”, como se nossa amiga aqui tivesse conseguido achar o botãozinho do cérebro que desligava o problema (sonho de todas nós, não?). Vejam vocês como tudo aconteceu:

A minha história começa de forma parecida com a das outras mulheres. Eu conheci um cara durante minhas férias e lá fui eu toda feliz e serelepe aos 19 anos perder a virgindade com ele. Claro que não consegui e ficamos sem entender nada, rs, mesmo porque ele era virgem também.
Depois de um tempo e muita frustração descobri que aquilo era vaginismo. Como é comum, eu me senti péssima, anormal, incapaz, etc., mas meu namorado foi totalmente compreensivo e sempre ficou do meu lado, nunca me pressionou ou acuou para rolar a penetração. Lembro-me que quando contei a ele sobre o vaginismo, totalmente constrangida, ele apenas me olhou e disse "Tudo bem. Eu sei que nós vamos superar isso um dia, não temos porque ter pressa, certo? E mesmo se por um acaso não fizermos isso passar, não é por causa disso que vamos nos separar".
Eu não fui diagnosticada com vaginismo, na época fui em um ginecologista e quando tentei explicar pra ele que não conseguia ter relações sexuais, que era como se minha vagina estivesse totalmente "fechada", ele praticamente riu de mim e disse que "era normal". Eu sabia que não era normal, insisti em pedir que ele me ajudasse, mas ele me garantiu que "todo mundo tem dificuldade em ter relação sexual no começo".
Daí eu resolvi pesquisar e ver se ele estava falando a verdade e encontrei um artigo médico que dizia que uma mulher pode sim ter certa dificuldade, mas se ela simplesmente não consegue a penetração sem nenhum motivo aparente, é porque ela provavelmente tem vaginismo. O médico do artigo definiu isso como uma condição rara e eu, intrigada, fui me aprofundando no assunto até perceber que vaginismo era a única explicação para o que acontecia comigo.
Depois de um tempo, eu falei com outro médico e ele disse que eu provavelmente tinha mesmo vaginismo e que ele às vezes passa sem motivo, como foi o meu caso, enquanto outras mulheres precisam de terapia a longo prazo. Acabei descobrindo que minha mãe também teve vaginismo e passou 6 meses sem conseguir fazer sexo com o marido (na época os dois casaram virgens).
Apesar de não ter feito terapia, pois não tinha condições financeiras para tal, eu pude facilmente ver o fundo psicológico do meu vaginismo. Cinco dias depois do meu aniversário de 14 anos, fui abusada sexualmente pelo meu irmão mais velho. Para algumas pessoas, 14 anos pode parecer muito, mas a verdade é que eu era uma criança, ingênua e sem sexualidade, e isso me marcou muito. Acredito que essa tenha sido a causa do meu vaginismo, porque apesar de conscientemente nunca ter tido vergonha do sexo em si, eu fiquei com sentimentos de raiva, rancor e mágoa relacionados à minha sexualidade, além de ter um ódio generalizado dos homens que se aproximavam de mim.
Só que resolvi não desistir de ter uma vida saudável e sexual normal! Afinal eu era uma mulher normal e merecia ter prazer na cama, ora. Então, no dia em que ia embora de volta para minha casa, resolvemos tentar fazer sexo mais uma vez - e simplesmente foi, como se nada tivesse acontecido antes, sem dor, sem problema algum. Posso dizer que foi uma primeira vez linda.
Deixa eu explicar melhor: eu não bem "decidi" ter a penetração, eu decidi que tinha o direito de ser feliz e não iria desistir de tentar... quando foi, acho que foi uma influência psicológica muito forte, porque aquele dia eu ia embora de volta pra minha cidade. Nós acordamos juntos, meu namorado e eu, ficamos lá nos amassando e ele perguntou se eu queria tentar "uma última vez antes de ir embora". Eu lembro que suspirei e disse "Vamos tentar, não custa, mas sei que não vai dar". Mas eu queria perder a virgindade com ele, era o único homem que eu queria que fosse meu primeiro. Daí a gente foi tentar a penetração, que nunca tinha funcionado antes, nem um centímetro, mas dessa vez o dito-cujo dele simplesmente entrou.
Simples assim, entrou a "cabeça" e ele começou a rir e me disse que tinha entrado e eu não acreditei, estava tão acostumada com as tentativas frustradas e a dor de forçar a penetração que eu parei por um momento para "sentir" o que estava acontecendo lá embaixo. E eu senti o dito-cujo lá, sem nenhuma dor, nenhum incômodo, como se fosse mágica. Comecei a rir igual uma maluca, fiquei muito feliz, não conseguia acreditar, a gente transou normalmente, foi romântico e lindo, rs.
Depois disso só voltei a ver meu namorado 3 meses depois, nesse meio tempo não tentei transar com ninguém e, quando nos encontramos, as coisas ficaram um pouco complicadas de novo, minha vagina estava "voltando" a fechar. Resolvemos tentar "exercícios" durante as nossas sessões de pegação com os dedos, calma e gradativamente, e não levou muito tempo até que estivéssemos fazendo sexo normalmente! Foi preciso apenas paciência e calma.
Desde então eu posso dizer que estou 100% curada do vaginismo. Não tenho nenhuma tática ou dica mágica, posso apenas dizer que tudo melhora quando você aceita seu corpo como ele é e para de ter raiva ou vergonha por causa do vaginismo. Hoje estou casada com o moço da história, mas entre idas e vindas, quando estávamos separados, fiz sexo com outros homens e nenhuma vez tive sinal de problemas na penetração, o que pra mim foi a prova máxima da cura.
Posso dizer que algumas posições como a de 4 me causam dor, mas pelo que eu sei, muitas mulheres sem problema algum também sentem desconforto nessa posição (e deve ser tbm porque o dito-cujo do meu marido é um tanto avantajado, rs). Mas isso não estraga de forma nenhuma a nossa vida sexual.
Então, não quero servir de exemplo pra ninguém, e muito menos deixar as moças que ainda não se curaram pensando "Poxa, ela conseguiu e eu não..." A cura virá um dia sim! Seja paciente, aceite seu corpo e vá exercitando sua vagina com carinho e dedicação, mesmo que você não tenha um parceiro sexual, ela é SUA vagina e você não deve nada a ninguém, rs.
Beijos para todas as mulheres que ficam por aqui, sei que vocês vão conseguir a cura, tudo ocorre no tempo certo!!! E parabéns a você, Dani, pela iniciativa tão legal de divulgar um problema comum, mas que infelizmente ainda é tabu e dá um nó nas nossas cabeças.
Sucesso e abraços!!

49 comentários:

Minha luta contra o vaginismo disse...

LINDO!

Daniela Barros disse...

Oi, "Minha luta contra o vaginismo"!
Visitei seu blog e adorei! Vou linká-la ali nos blogs que eu costumo visitar, ok?
Bjs

maria disse...

eu amei linda.

Anônimo disse...

Olá,

Realmente uma história um tanto diferente...mas como sempre digo e penso, somos mulheres diferentes, temos vidas passadas e atuais diferentes, personalidades diferentes e cada pesssoa responde a um tratamento de uma forma, outras sem tto de outra forma e assim vamos descobrindo todas as facetas do vaginismo. Gostei muito da história publicada. Li esta semana um livro, ou melhor, parte dele muito interessante sobre vaginismo "quem cala, nem sempre consente"...pesquisem no google, tem muitos pontos interessantes e VAMOS A LUTA!O importante é não desistir e sabermos que somos capazes de vencer, cada uma no seu tempo. =)
Beijos meninas,

Cora

Daniela Barros disse...

Oi, Cora!

Gostei da dica do livro, vou dar uma olhada!

Bjs

Anônimo disse...

Oi meninas sou nova aqui e também tenho vaginismo e sou noiva... imaginem só como é minha vida! Dia desses conto pra voces meu relato aqui.Bom,quero só comentar que foi à procura do livro indicado pela Cora "quem cala, nem sempre consente" e quando no índice li "Introdução" tremi de pavor!!!!kkkkkkk era apenas a introdução do assunto do livro!
Que medo né!
Mas enfim, estamos aqui pra vencer isso!
Beijos a todas! E até mais!

Kênia,

Daniela Barros disse...

Oi, Kênia!
Entendo vc, no começo, só de pensar no assunto dá muito medo! Mas aos poucos vc vai superando, uma etapa de cada vez!
Boa sorte no tratamento e não desista nunca!
Bjs

Anônimo disse...

Oi!! Depois de tanta frustração descobri que tenho vaginismo!! Sou casada há 18 meses e isto estava atrapalhando meu casamento, mas quando descobri o que tinha, meu marido foi super compreensivo e resolvi procurar ajuda! Vou começar a terapia na próxima semana, é um pouco caro, mas quero muito me curar, ter uma vida sexual plena, ter filhos futuramente, e também gostei muito da terapeuta! Depois que conversamos fiquei muito mais tranquila e empolgada com o tratamento!!
Monica

Daniela Barros disse...

Oi, Mônica!
Nossa, só notícia boa! Achou uma terapeuta, simpatizou com ela, o maridão apoiando... Vc tem tudo pra superar este problema rapidinho! Faz assim: se dedica o máximo que vc puder, faça todos os exercícios indicados pela psico e quando achar a tarefa muito difícil, pense que foi difícil para cada uma de nós tb, mas resolvemos insistir e lutar! Insista muiito, lute com todas as forças e em breve vc vai conseguir superar! Vá mandando as novidades, ok?
Bjs

Anônimo disse...

Meninas eu já passei por tudo isso. Sei o quanto é frustrante! Eu tentei de tudo, livros, sexólogos, dilatadores e nada funcionava! Pesquisei muito no google um tratamento eficaz, por fim tentei a fisioterapia pélvica. Foi muito mais fácil do que imaginei! Hoje eu tenho o controle dos meus músculos, aprendi a percebê-los e relaxa-los. Quem estiver no Rio de Janeiro procure pela Dra Fernanda Pacheco da clínica Urofisio. Boa sorte a todas vcs!

Anônimo disse...

Reforço a indicação da dra. Fernanda Pacheco da Clínica Urofisio.
Além de muito competente e dedicada, ela tem várias dicas, que são muito úteis, pois normalmente as vagínicas não têm com quem conversar a respeito.
Eu tive resultados incríveis com a fisioterapia. Logo na primeira sessão já vi a diferença, e depois de algumas sessões os músculos já estavam bem mais relaxados. Acho que o resultado depende muito da causa do problema. Como no meu caso era mais muscular mesmo, o tratamento foi um sucesso!

Anônimo disse...

Olá tenho 27 anos e sou casada a quase 4anos.tbm sofria com vaginismo embora nunca tenha sido diagnosticada por nenhum médico, pois até entao tds me falaram q era normal, q eu tinha q simplesmente relaxar...uma vez passei por um momento constrangedor, onde tentei fazer o papanicolau e nao consegui, sentir uma dor horrível e pedi para q a médica parasse, e ela foi super grossa comigo, chorei tanto me sentir um lixo.Mas graças a Deus tenho um marido amoroso e compreensível q sempre esteve do meu lado.Pra resumir, ontem tive minha primeira penetração, sem dor, apenas um desconforto no finalzinho, mas acho q é normal, afinal era minha primeira vez rs, estou pra tentarmos d novo, voltarei aqui pra contar novidades, bjs (lembrando q venho fazendo alguns exerçicios sozinha, pois nao tenho condiçoes para o tratamento)esse blog me ajudou muito e é claro a fé em Deus, bjs

Anônimo disse...

olá tenho 22 anos e sou casada a 2 anos,fui ao ginecologista,e contei a ele que nao estava conseguindo ter relaçao sexual com o meu marido,nao estava conseguindo penetraçao..ela me endicou para o pisicolago,eu fui,e nao adintou nada,hoje me sinto mal com tudo isso,meu esposo,esta comigo nessa o que me ajuda muito ne,mais vou continuar buscando soluçoes.esse blog me ajudou muito..

Anônimo disse...

Olá! Vocês poderiam me informar quantas sessões foram necessárias para ter o resultado fazendo o tratamento com a Dra. Fernanda Pacheco? Moro em Brsília, mas fiquei super interessada em conhecê-la. Como fica longe e contra-mão, só quero ir lá se realmente os resultados aparecerem no início do tratamento. Obrigada pelas dicas!

Anônimo disse...

Olá! Sou casada a 6 anos, durante todos esses anos convivi com essa dor durante as relações... hoje fui na minha gineco falar sobre esse problema que nunca contei a ninguém e descobri que tenho vaginismo.. vou começar o tratamento com uma psicóloga, me desejem boa sorte, estarei sempre acompanhando esse blog que descobri hoje e adorei :) Obrigada pelas dicas!

Anônimo disse...

Boa sorte!força, foco e fé!!!

Anônimo disse...

Graças à Deus tentamos e conseguimos novamente, gente to tao feliz...agora o que mais quero é engravidar.Meninas não desistam, é difícil eu sei, sofri muito, só Deus sabe qnts noite passei chorando e me culpando por tudo isso.
Além dos exercícios q comecei fazendo sozinha, tbm refleti sobre a verdadeira causa deste problema em vida.Quanda criança, um primo meu veio morar conosco e por várias vezes ficava me acariciando.,.até chegou a me dar um beijo d lingua, ele me ameaçava pra q eu nao contasse a minha mae.Tbm teve um cara na rua q tentou abusar d mim, eu era apenas uma criança.Entao essa é minha história, se eu consegui vcs tbm conseguem!!! bjs "mary"

Anônimo disse...

Olá, pessoal! Descobri o blog por acaso. Tenho 26 anos e ainda sou virgem. Namoro a um ano, sou perdidamente apaixonada pelo meu namorado, mas simplesmente não consigo transar. Não entra nada! Passei por três ginecologistas até me diagnósticarem com vaginismo. Vou procurar fazer terapia, mas estou sofrendo muito com essa situação. Para piorar, logo no primeiro mês de namoro, meu namorado foi diagnósticado com condiloma. Nosso mundo desabou, sofremos muito. Ele passou por vários médicos e cada um dizia algo diferente sobre a doença, então optamos por não transar enquanto ele não fosse "curado". Agora ele já esta liberado para transar, mas quem não consegue sou. Estou muito triste e assustada. Nos amamos muito, ele é uma pessoa maravilhosa e pretendemos nos casar. Essa é a minha história, e estamos lutando para superar os nossos problemas. Abraços

carollopes1815 disse...

Puxa,escrever sobre isso parece bem mais difícil do que imaginei...vejo agora que, mesmo diante da alegria da superação , ainda é difícil pensar no passado e em todas as frustrações e desesperanças que o vaginismo causou a mim e a meu esposo.
Certamente experiências como essas nos marcam muito e nos ensinam mais ainda, principalmente sobre nossa própria capacidade de superar problemas que parecem tão intransponíveis...
Depois de anos de inexplicáveis frustrações, recebi finalmente o diagnóstico.Isso ocorreu em 2009, eu já estava casada há quatro anos e meio. Sofri muito, tive medo de ser rejeitada pelo meu esposo, mas como não havia outra opção, enxuguei as lágrimas e procurei pelo tratamento indicado pela minha médica: terapia sexual oferecida pelo laboratório de sexualidade de uma universidade na Grande São Paulo. Os resultados foram surpreendentes, mas perdi o acesso ao tratamento antes de conseguir penetração na relação sexual. Fiquei um pouco perdida, mas achei que conseguiria avançar sozinha, sem apoio...Engano meu!!Não consegui avançar sem tratamento. Admito que, intimamente, imaginava que talvez as coisas pudessem se resolver sozinhas...outro engano, dos grandes, pois leva à imobilidade diante do problema. Acredito que meu esposo tinha a mesma convicção, pois embora nosso relacionamento sempre tenha sido muito bom, quase nunca tocávamos nesse doloroso assunto, principalmente porque as relações sexuais sempre foram muito prazerosas, mesmo sem a penetração.
Há cinco meses, descobri o Kit de superação do vaginismo pela internet e, cheia de esperanças, o adquiri. Demorei pouco mais de dois meses para iniciar o tratamento após ter feito a compra, estava passando por um momento profissional extremamente tenso e não consegui dar ao tratamento a devida prioridade.Notável é o fato de que , ao longo desses anos, quanto mais eu evoluía profissionalmente, menos atenção dava à minha vida pessoal e aos meus sonhos e anseios. Quando abri mão de um cargo mais alto e voltei a um cargo hierarquicamente mais baixo por livre e espontânea vontade, muitas coisas começaram a mudar em minha vida.Claro que as pessoas não entendem facilmente esse tipo de decisão, mas para mim e meu esposo fazia todo sentido...estávamos escolhendo nossa felicidade!!!
Para encurtar a história, no dia 10\03\2013, conseguimos nossa primeira relação sexual completa!!Houve um certo desconforto, mas não dor propriamente dita!Desde então, temos conseguido penetração regularmente. Claro, é tudo muito novo...estou em processo de adaptação, sei que ainda faltam muitos avanços para tornar o sexo mais natural, livre e prazeroso. Estamos felizes, parece que, após oito anos de casamento, estamos em lua-de-mel, voltando a uma fase de descobertas. Mais uma vez, Deus nos restituiu tudo o que havia se perdido, pois em uma fase na qual muitos casais enfrentam uma situação de morosidade e desânimo sexual, nos sentimos como um casal que acabou de se conhecer. Estamos empenhados em amadurecer sexualmente e desenvolver, aos poucos, novas formas de satisfação mútua e intimidade.
Bem , é esse meu relato!!Sinto- me grata e feliz por poder compartilhá- lo! Desejo sucesso a todas que passam por esse problema. Crer na superação é essencial para agir sempre e obter a cura!

Feliz, realizada e esperançosa...o futuro que me aguarde!!!!

Comprei o kit nesse site: http://www.vaginismus.com
Sucesso a todos!!A cura é possível, sim!!!

Anônimo disse...

Sobre a Dra Fernanda Pacheco: estou fazendo o tratamento c ela há um mês e já consigo introduzir um vibrador de 9x2 cm. Eu considero um resultado fantástico, pq antes não entrava nem sopro. Coloco c uma facilidade incrível e ainda faço os exercícios lá dentro. Meninas, praticamente virei uma atriz pornô! Hahahahahahaha P vagínica d Brasília, acho q vale a pena vir, sim, ao Rio, hein? Bjs.

Anônimo disse...

Eu não sei se tenho vaginismo, mas tenho muito medo da penetração. Luto com meu marido cada vez que sinto o desconforto da penetração inicial. Luto mesmo, fecho as pernas, empurro... é um horror! não consigo relaxar por mais pensamento positivo que tenho! Ele está perdendo a paciência. Somos recém-casados. Ao mesmo tempo que quero, não quero. Não tivemos a penetração completa. Tenho certeza e fé de que isso vai acontecer e que vamos vencer. Marquei gineco, mas tenho receio que ela simplesmente despreze. Já tentei colocar o dedo, mas dois dedos não consigo! Por vezes me sinto uma doente. Essa história de que qualquer menina hoje faz e eu não conseguir, mesmo querendo muito, me deprime bastante. Bom poder compartilhar aqui, pelo menos posso escrever em algum lugar e não me sentir tão sozinha. Não queria "lutar" com meu marido na cama e preciso vencer isso logo.

Anônimo disse...

Oi amiga do dia 1 de junho. Eu tenho visto as meninas falarem que os ginecologistas, tanto homem quanto mulher, não sabem sobre o vaginismo. O melhor mesmo seria você procurar uma psicóloga ou sexóloga, que vai te orientar com mais atenção, por entender do problema. Beijos

maria disse...

tenho 26 anos casada a mais de 1 ano e não conseguia ter relações com meu marido,minha vida era só sofrimento,tinha vontade de ser mãe isso fazia com q o sofrimento aumentasse cada vez mais.tinha q mentir para amigas quando perguntavam sobre minha vida sexual com meu marido isso me deixava arrasada pois odeio mentiras,quantas vezes meu marido ficava excitado e me procurava para reallizalo e nao dava em nada ele me ama mas ficava muito irritado e eu simplesmente chorava achando que eu era a unica no mundo com este problema então eu me achava uma inútil.mas graças a DEUS na procura de resposta para meu problema DEUS me apresentou este site ai eu pude descobrir que são varias as mulheres que sofrem com o mesmo problema que eu.e quando vi que muitas venceram ai se acendeu uma chama de esperança no meu coração. aí comecei a fazer os exercícios sempre com lubrificante;primeiro com 1 contonete depois com dois mas não foi fácil deu muito trabalho para min introduzir mas não desistir depois comprei plugues anais-vaginais pela internet numa loja virtual comecei com estehttp://www.lojadoprazer.com.br/prod,IDLoja,343,IDProduto,2819269,acessorios-eroticos-plugs-anais-sem-vibro-plug-anal-nexo-pequeno-e-fininho-com-base-para-mante-lo-em-pe---11-x-2-cm
também foi muito difícil ardia muito.mas quando não entrava deixa para outro dia e dava certo sempre perseverando.por último usei este;http://www.lojadoprazer.com.br/prod,IDLoja,343,IDProduto,2074690,acessorios-eroticos-plugs-anais-sem-vibro-plug-grande e foi o mais difícil para ser introduzido levei 1 mês.sempre com camisinha e lubrificante ardia muito e doia muito mas cada dia introzia um pouquinho,quando não suportava a dor parava más um dia depois de muito insistir entrou a porte grossa todinha,introduzir por mais alguns dias todinho até nao doer mais.ai namorando com o marido introduzir o plug depois tirei e coloquei o do marido e entrou todinho sem doer só ardeu um pouquinho que é normal,e agora estou praticando muito com ele e esta sendo muito gostoso pois meu marido esta muito feliz.agora depois de 3 meses de pratica estamos craques. se eu conseguir todas vocês também podem, basta querer e ser determinada pois se vocês tem traumas eu também tinha eu nao deixa nem meu marido introduzir o dedo na minha vagina tinha panico.tentei varias vezes fazer exame preventivo e não conseguir deixar as expecialistas introduzir o material para recolher.teve uma delas que ficou chateada.se alguma de vocês também tem esse problema bola para frente vá em luta da vitoria que você conseguira se apegue a DEUS e confie também na sua capacidade e lembre sempre que seu marido ou namorado te ama e que todo sacrifício que você fará, depois você tirara vantagens. qualquer dúvida ou orientação se vocês quiserem,podem me perguntar pois com a minha experiencia poderei ajuda-los. ficam a vontade eu sempre entro no blog.bjs

Anônimo disse...

eu já sou casada há cinco anos, e isso nos entristece muito! meu marido no começo não aceitava! achava que era besteira minha,no começo do nosso casamento teve uma leve penetração que conseguiu romper o meu ímem,mas não passou disso!!! O meu medo é tão grande que chego a me tremer, e a minha pressão fica baixa,já tivemos ajuda de um ginecologista que também é sexólogo.Mas, aos poucos fomos desistindo do tratamento... e agora meu esposo parece que deixou de lado. Mas eu penso nisso todos os dias, as vezes me sinto tão mal, tenho medo de ficar depressiva!mesmo assim nós somos muito felizes,conseguimos dar um "jeito" pra conseguir satisfazer um ao outro! o meu doutor me falou dessas tecnicas para exercitar a musculatura da vagina. Confesso que não pratiquei como deveria, como sempre, não tenho ânimo. pois sei que no fim vai doer do mesmo jeito,preciso muito de ajuda, queria muito poder dar essa alegria ao meu esposo, e a mim também!!!desde já agradeço a oportunidade de poder compartilhar isso com voces... abraços!

Anônimo disse...

Oi, e estou no mesmo barco q vcs, namoro a 3 anos e ate agora nada, ja tive muitos avanços mas a penetraçao mesmo nao consigo. preciso muito de ajuda

Anônimo disse...

força, foco e fé meninas, vcs tbm vao conseguir!!!!

Anônimo disse...

Paraéns pelo blog e pra todas as mulheres que estão tentando superar este problema. Este blog e outros são muito importantes pra nós mulheres pois este assunto simplesmente não é abordado em lugar nenhum. Até mesmo ginecologistas o desconhecem, o que ajuda a mantê-lo envolto em uma nuvem, como um tabu.. Tenho esperanças de que com o tempo, o vaginismo e outros problemas sexuais femininos sejam alvo de campanhas de esclarecimento assim como ocorre com a impotencia e a ejaculação precoce masculinas.

Anônimo disse...

Oi meninas... fiquei surpresa com esse Blog. Pensei q eu era a única no mundo com esse problema!!!!! Namorei 4 anos, e nunca consegui penetração completa. Sentia muita dor. Mesmo amando meu namorado, pensando coisas boas.. Sempre ficava nervosa, fechava as pernas sem sentir. um horror. Por conta disso, perdi meu namorado. Agora, conheci um outro rapaz, e fui tentar. E nada novamente. Eu me sinto um lixo de mulher, uma incapaz, triste.. Tenho vontade de desistir de tudo. Não vejo solução. fui na Ginecologista, e ela disse que era só relaxar, que era "normal". não, não é!!!!!! O que eu faço?! Não sei mais. Eu quero ser feliz... ter uma vida sexual normal. Quero casar, ter filhos!!! Quem vai me querer assim?! Se existisse um remédio. Acho legal a historia de vocês... mas hoje em dia, estou depressiva... Triste. Gostaria de uma ajuda!!!!! me ajudem, pelo amor de DEUS !!!!!!!!!

Anônimo disse...

Oi amiga do dia 5 de agosto, tudo bem? Só hoje vi sua mensagem, espero que vc veja minha resposta. Eu tb já ouvi isso de ginecologista, que é "só relaxar", mas nós que passamos por isso sabemos que não é assim.
É igual falar pra quem tem depressão que é "só se alegrar", para quem tem ansiedade que é "só não ficar ansioso", pra quem tem medo de altura que é "só não ter medo".. não é assim, tem coisas que a gte não controla se não tiver um tratamento adequado e um acompanhamento. Por isso eu sugiro que vc procure um psicólogo, ou psicóloga. Tendo condições, um sexólogo. Eu não passei com sexóloga ainda porque é caro, 150 a consulta aqui em Campinas, 1 vez por semana... Mas to indo em uma psicóloga e eu espero que dê certo. E se não der eu vou em outra, até achar alguém que me ajude verdade. Eu acho que vc deveria fazer o mesmo... Ficar parada é que deixa a gte triste.. Temos que tentar, muitas conseguem, também vamos conseguir. Um beijo

Anônimo disse...

Oi, tenho 22 anos e minha primeira relação sexual foi com 20, um namorado, um único homem na minha vida. Eu converso com minhas amigas e fui percebendo que algo cmgo não estava normal, fazia sexo e sentia muita dor, então fui procurar saber o que era e acho que pode ser vaginismo, o problema é que não tenho como procurar ajuda de um especialista, pois no momento estou sem emprego e sei que as consultas são caras. Vcs que já passaram por esse problema o que acham que posso fazer para superar isso? Obrigada Arianne

Anônimo disse...

Oi, tenho 22 anos e minha primeira relação sexual foi com 20, um namorado, um único homem na minha vida. Eu converso com minhas amigas e fui percebendo que algo cmgo não estava normal, fazia sexo e sentia muita dor, então fui procurar saber o que era e acho que pode ser vaginismo, o problema é que não tenho como procurar ajuda de um especialista, pois no momento estou sem emprego e sei que as consultas são caras. Vcs que já passaram por esse problema o que acham que posso fazer para superar isso? Obrigada Arianne

Anônimo disse...

Fico muito feliz pela Tamires ter conseguido se livrar desse problema... Observo que o apoio do namorado, noivo, marido é primordial! Fiquei com um rapaz que só fez eu me sentir pior: ele pediu para que eu lesse algo na internet para saber o que tinha de errado comigo, mas na verdade eu já sabia do que se tratava mas não havia contado a ele, queria tentar sem a ajuda de um profissional, como fez a Tamires... Eu ficava muito nervosa na hora da penetração, e ao invés de ele me dar carinho, ser compreensivo, ele brigava comigo, ficava impaciente... Só me fez sentir pior!! Nem preciso dizer que nossa relação não deu certo. O vaginismo é dramático pra mim, ainda bem que encontrei esse blog. Vou buscar ajuda, e tentar superar esse problema, como muitas mulheres aqui publicaram!!

Anônimo disse...

Tb estou na luta! E pior não tenho condição financeira nenhuma para pagar sexologo, fisioterapeuta ou algo do tipo! Nem mesmo para comprar Dilatadores! Vou vendo objetos e introduzindo, me exercitando como posso. O que vc me aconselha mais? Gente, namoro a 5 anos e estou prestes a perder meu namorado, ele é paciente, mas ta mto difícil seguir assim! Beijos, Carla!!

liris wuo disse...

ola preciso entrar em conato com vc com urgencia
sou de sao paulo e estamos nos organizando para um encontro entre profissionais que trabalham com vaginismo e pacientes
a ideia é aproximar as pessoas que sofrem de vaginismo das possibilidades de cura com a fisio e a terapia psicológica

vamos fazer um encontro para expor e discutir a atuaçao da fisio e psicologia e fazermos uma vivencia de exercícios globais

nao sera um encontro para fazermos terapia em grupo
sera apenas um encontro para as pessoas se informarem do apoio que elas podem ter e de como é o trabalho destes profissionais que elas podem procurar

se possível entrar em contato com Liris Wuo pelo face ou email liriswuo@uol.com.br ou tel 11 982811558

um grande abraço,

Liris Wuo

Clarisse disse...

Olá, meninas! Também sinto dores durante o sexo,então resolvi criar um blog também para compartilhar com vcs um pouco da minha história. Confere aí: http://sexoedor.wordpress.com/

Anônimo disse...

Olá meninas esse é um novo brog criado por min para ajudar as pessoas que sofrem com o mesmo problema que eu.dor durante o sexo.

http://superandoadispareunia.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

ola.eu sou casada a 6 meses, tenho 21 anos. e nao consigi fazer sexo, acredito que pode ser o vaginismo, alias tenho certeza que seja isso! meu marido trabalha anoite e so de fim de semana que vamos durmir juntos.. eu acabo endo preguiça de tentar fazer..com tantas tentativas frustante! ele diz que nao liga, que eu dou prazer mesmo sem penetração, e eu tenho depressão, e isso ta acabando com minha vida..ate a vontade de viver. esses dias conseguir colocar a ponta do indicador, foi o maximo que conseguir! so de pensar me da um treco! gostei uito de ler a historia de cada uma!! me deu animo pra continuar! vcs são uma guerreiras! e quero ser que nem vcs! me ajudem!!

Anônimo disse...

olá meninas!sou a ânonima dos posts do dia 11/02/2013 e 18/02/2013.
Como relatei anteriormente consegui me livrar do vaginismo atravez de exercícios que realizei sozinha mesmo, aos poucos fui introduzindo o dedo na vagina, conhecendo meu corpo, entendendo que quem comanda isso aqui sou eu rs
Meu maior sonho era ser mãe.Pois bem descobri á duas semanas, estou GRÁVIDA de 7 semaninhas um sonho realizado graças á Deus e ao meu marido que sempre me deram forças!
Semana que vem faço minha primeira ultrassom, confesso que estou com um pouquinho de medo pois é a transvaginal e minhas lembranças de tentativas de exames não são muito boas, mas creio que vai dar td certo!(depois que consegui fazer sexo não tentei fazer mais o papanicolau, por medo de não consegui) .
Mas é isso, nunca mais sentir dor nenhuma com o sexo, ao contrário tem sido muito prazeroso rsrs. E se eu consegui vcs tbm conseguem, não sou melhor que vcs!não desistam, persitam, com muita força de vontade e fé a gente chega lá.
Boa sorte pra tds vocês, bjsssss
em breve posto sobre minha primeira ultra. fui.........
"mary"

Anônimo disse...

oie já voltei....fiz minha 1º ultra transvaginal, e deu td certo!senti apenas um desconforto que a dra disse ser normal.Graças à Deus eu e meu anjinho estamos bem... bjs meninas e muita força pra vcs!!! "Mary"

maria disse...

eu venci o vaginismo.

Anônimo disse...

Olá, meninas!!
Já postei aqui, nem sem onde rsrsrs
Para resumir minha história, tive vaginismo por muuuuuuuitos anos, estou casada a 5 anos. Sofri muito, quase nos separamos e estes blogs me ajudaram muito a ver uma luz no fim do túnel, foi onde descobri a fisioterapia uroginecológica, fiz quase um ano de tratamento e já tive algumas penetrações, estou muito confiante e acho que agora vou ser feliz, acessem esse link http://liviafrulani.wordpress.com/ onde deixei meu depoimento, não desistam por favor.

Anônimo disse...

Gente, meu email é rosangelabaracho@globo.com, sou do comentário acima, quem quiser conversar e saber mais.

Isabella disse...

Estou impressionada com a quantidade de mulheres aqui nos comentários dizendo "meu marido foi super compreensivo". Será que é só o meu que é um grosso e não me entende? Ele acha que eu não quero fazer sexo com ele, e que faço " cena" pra não ter que que fazer. E de uns meses pra cá , quando vamos tentar, não fazemos mais preliminares, pois ele diz que só vamos ter as preliminares quando eu deixar ele me penetrar! Não sei como vai ser a minha cura com um homem assim!

Rafaela Crispim disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Olá amigas!!
Que blog maravilhoso, ler todos estes depoimentos me encheu de esperança, saiba que oro por todas vcs!
Sou casada há 3 anos, e nunca tive penetração...
Sempre tive a esperança de que um dia iria conseguir e não procurei ajuda no primeiro momento. Mas na hora da penetração, parecia que todas as pre eliminares não valeram de nada... não conseguia ter penetração que frustação!! Me sentia um lixo de mulher, que não serivia nem para dar!
Em fevereiro deste ano meu marido disse que não aguentava mais e que se eu não procurasse ajuda ele ia se separar, pois ele já estava no limite.
Não procurei ajuda antes, pois tinha muita vergonha de falar para uma gine ou com alguem, nunca falei isto para ninguém, nem para minha mãe, nem para minha melhor amiga. Primeiro de tudo eu mesma tinha preconceito comigo pois achava que o que eu tinha era frescura, que é o pensamento do meu marido.
Mas enfim, procurei uma sexologa maravilhosa, estou fazendo os exercicios e evoluindo. Fui na ginecologista, nunca tinha ido depois que casei e ela falou que esta tudo normal com minha vagina.
Mas agora vem a parte mais triste, meu marido esta se separando de mim e disse que não irá mais esperar... eu fiquei sem chão! Não entendi nada, foi o pior dia da minha vida, minha vontade era morrer, me senti inutil, fracassada com mulher, me senti a pior pessoa do mundo, acabei com meu casamento.
Mas ai vim aqui no blog e vi varias histórias de pessoas que ficaram com este problema a 7 anos casado, e percebi que não sou a culpada do fim. Infelizmente ele não me merece, não me ama o suficiente para me ajudar...
Na vdd quis escrever para vc que ainda não procurou ajuda, procure ajuda por vc não por ninguem.
eu estou rumo a cura, consegui introduzir meu dedo, que felicidade, não foi facil, eu relaxei muito e aos poucos foi entrando, ouvir uma musica tambem ajuda bastante a relaxar, a medica me orientou a usar as bolinhas tailandesas, achei mais facil que colocar o dedo... meninas vaginismo tem cura não desistam!!

Bjos

Anonimo 2017 disse...

Eu tambem e tenho seis mwses de casada. Descobri ser poradora desta disfuncao ha dias atras mas nesta vida tudo tem solucao

Anonimo 2017 disse...

Procure um ginecologista especializado em sexualidade e fara o diagnostico preciso o diagnóstico desta disfuncao e meio traumatico no comeco mas deus nos conforta sempre nosso coracao certo no hospital das clinicas de sp e um. Otimo. Centro de referencia fui diagnosticada la aguardo proposta de tratamento. Quem quiser falar cmg
E mail willyunitau@gmail.com

Anonimo 2017 disse...

Segundo depoimento de uma paciente da doutora debora padua ela fez 15 sessoes de fisio

Anonimo 2017 disse...

Na nossa vida tudo que acontece em algum momento dela repercurte para toda uma vida fui sexual do proprio avo aos seis anos de idade sempre tive problemas com relaçoonamentos e nao entendia o por que. Hoje aos 37 anos casada ha seis meses descobri ser portadora desta disfuncao chamada vaginismo e pode ter relacao a traumas sexuais da infancia. Mas a sabedoria nada passa batido recebi meu diagnostico a dias atras fiquei meip chocada ao nao entebder de inicio ao que se trata mas deus nos conforta em nosso coracao hoje e sempre

Postar um comentário

Que bom que vc decidiu compartilhar sua luta comigo! Vamos vencer, tenho certeza!
Agora eu aprendi, então, depois de comentar, pode voltar aqui que vai ter uma respostinha minha, tá?
Bjs