sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

História da Daniela

Oi, gente querida!
.
Desculpem o desaparecimento, tá? É que ontem foi a prova de proficiência de inglês do mestrado e sabem como é, né? Eu fico meio louca e descompensada com isso...
.
Bom, hoje eu vou publicar mais um depoimento de cura (ai que máximo!) e, pra aproveitar o ritmo, vou inaugurar um "contador de curas" (ideia do meu amorzinho) aqui do lado direito do blog, logo abaixo do "quem sou eu". Daí, toda vez que alguém me disser que está curada, eu vou somar mais uma cura no nosso contador, pra vocês terem ideia de quanta gente já passou por esse problema e superou, o que acham?
.
Bom, vamos a história da minha amiga Dani, um caso de vaginismo secundário que, depois de muita luta, se resolveu! Vejam como foi:
"Tenho 28 anos, sou casada há 9 anos e por 8 anos sofri com o vaginismo. Por muitas vezes chorei, me senti humilhada, rebaixada, diminuída, praticamente vi a minha autoestima voar para bem longe de mim. Na verdade tentei muitos tratamentos psicológicos que pelo despreparo dos profissionais sempre foram falhos... eu me negava a acreditar que tinha problemas na "cabeça", pois amo meu marido, e nunca tive pudores ou qualquer tipo de culpa (o que os terapeutas tentam te empurrar), porém como durante muito tempo nossas relações eram sem penetração, o que me deixava infantilizada, não me sentia uma mulher e com isso o pânico de perder meu amado se enraizava nos meus pensamentos. Poxa vida, por muito tempo eu tentei e nada, tudo começava bem, com carinho, tesão e eu achava que dessa vez ia dar certo, porém bastava eu me dar conta de que estava no momento da penetração que meu corpo se fechava como se gritasse um sonoro NÃO ao meu marido. Muito triste, muito triste, muito constrangedor, eu queria morrer!
Mas não foi sempre assim, nós tínhamos uma vida sexual muito boa, porém após uma infecção urinária a qual me levou ao hospital, minha mente associou a dor da infecção ao ato sexual. Na época eu não entendia, mas hoje sei que existe um mecanismo de adaptação na relação pênis x vagina onde a fricção pode gerar um desconforto na cavidade vaginal propiciando a infecção urinária, conforme explicou minha nefrologista. No meu caso tudo se resolve tomando, ao final de cada relação com penetração, um comprimido que protege a bexiga das possíveis bactérias. Não é o máximo??? Mas até eu descobrir...
Eu já não sabia mais o que fazer, as sessões de hipnose com a psicóloga não davam resultado e o meu ginecologista dá época afirmava que eu não tinha vaginismo, porque o pré-cancer eu fazia (sim fazia, mas doía muito). Foi então que eu disse para a minha psicóloga que iria procurar um cirurgião plástico para ver se tinha como cortar algo fora (hoje me mato rindo desse dia, imagina só o que eu estava prestes a fazer). Cheguei em casa e fui buscar informações sobre vaginismo (o que eu já havia feito há muitos anos antes) e me deparei com os relatos do blog da Dani e sobre os dilatadores e fiquei muito motivada a tentar. No dia 12 de agosto desse ano, eu escrevi para a Dani que me orientou a comprar os dilatadores e assumir a frente dessa batalha. Meu marido deu o maior apoio. Encomendei os dilatadores por um site que compra direto dos EUA, paguei uns R$400,00, mas valem cada centavo.
Chegaram em menos de 15 dias e logo os inaugurei, comecei bem lentamente, o primeiro tamanho era como colocar o meu dedo mindinho, não tive resistência, claro que senti um leve ardor, mas quanto mais eu o introduzia e o movimentava, mais fácil era e assim foi com os demais tamanhos, eu ficava aproximadamente uma semana com cada tamanho e depois partia para o próximo. Faço os exercícios umas 3x por semana após o banho e com muito lubrificante. Parei no quinto tamanho, pois logo tentei a penetração com o meu marido e aos poucos foi dando certo. Ainda não estou 100%, mas uns 85% (risos).
Espero que meu relato sirva para que quem, momentaneamente, está com VAGINISMO siga em frente, lute e não tenha medo, a dor é suportável quando acreditamos que vai dar certo. Sei que meu caso é mais fácil por ser um vaginismo de segundo grau, mas eu teria a mesma garra se fosse um de primeiro grau. É muito bom fazer amor com o marido e não sentir dor....isso existe....acredite!!!
Sejam sinceras com seus amados para que eles lhe deem total apoio e suporte, se isso não ocorrer, ou se o retorno for apenas cobrança e indiretas maldosas, sugiro rever seu apego a este amado, pois seu maior apego deve ser a VOCÊ mesma. Se ame mais que tudo e acredite nos dilatadores, pois na falta de marido eles estarão lá.
Um super abraço e espero ter ajudado.
Dani"

Espero que sirva pra incentivar ainda mais vocês!

.

Bjs a todas! Volto logo!

24 comentários:

Lutadora disse...

Parabéns Dani! Eu também continuo a minha luta!
http://acuraeposssivel.blogspot.com/
Também iniciei um blog onde conto toda a minha história, está no inicio mas prometo contar td!
bjs

Anônimo disse...

Oi Danis ;-),
gosto muito do teu blog. E que jóia que a Ana e a Dani compartilharam suas histórias conosco.
A cura de vcs me incentiva muito.
Te mandei um e-mail em setembro e fiquei super feliz que vc me respondeu, não esperava. Fico muito motivada quando leio o teu blog.
Que Deus te abençoe muito, vc está sendo muito útil para a busca da cura.
Beijos,
D.M.

Becca disse...

Dani onde posso encontrar esse dilatador?
bjoos!!

Luz disse...

Parabéns Daniela por compartilhar sua história conosco.Também estou na luta e chegando quase lá.

Obrigada.
Luz.

Tenho fé disse...

Nossa fico muito feliz por vc!!Tbm consegui minha primeira penetração com meu marido no dia 09 de dezembro,ahhh como estou feliz...

Tenho fé disse...

Oiii Dani como seu blog me ajudou amiga,consegui tudoooo,como estou feliz!!Quero me incluir nesse contador e relatar a minha historia!!Como faço???Bjss

Daniela Barros disse...

Oi, Lutadora!
Vou visitar seu blog e acompanhar sua história, tá? Se precisar de mim, pode contar! Boa sorte na sua luta! Bjs

Oi, DM!
Que bom que o blog te ajuda de alguma forma, é por isso que eu me dedico tanto a ele e a cada uma de vcs que me procuram! Quero ver todas curadas! Logo, logo, seu depoimento estará aqui (se vc permitir, claro!) Bjs e não desista nunca!

Oi, Becca!
O dilatador que a Dani usou é o mesmo que eu usei, a única diferença foi a forma como ela comprou q é mais segura... se vc quiser mais informações me escreva que eu te conto! Bjs

Oi, Luz!
Quando vc chegar lá, quero saber, hein? Vou te colocar aqui na estatística no blog e quem sabe publicar sua história em breve!! Boa sorte e conte comigo pro que precisar!

Tenho fé, minha querida! Parabéns!
Fico tão, tão feliz por vc! Quero muito vc aqui no blog contando tua história, então faz o seguinte, me manda um email e combinamos tudo, tá? Beijocas!

Anônimo disse...

Oi gurias, consegui acessar o blog apenas hoje e fiquei muito feliz com os depoimentos em função do meu relato. A Dani Barros é realmente um espírito em grande evolução, pois foi após visitar o blog dela que resolvi comprar os dilatadores e tudo deu certo. Para todas vocês um excelente Natal, que o menino Jesus lhes traga fé e motivação. Abraço forte da Dani ( a outra rsrs)

Anônimo disse...

Sabe meninas, tava pensando aqui.. não parece ser tão dificil curar o vaginismo... olha só.. basta ter fé, empenho, disciplina e muito amor próprio.. Usem os dilatadores direitinho, ou na falta deles um daqueles vibradores, tudo vai dar certo!! Fico tão contrariada de ver a facilidade dos homens sentirem prazer, enquanto nós temos que recorrer a tanta ajuda.. Eu, opinião minha, não boto fé em tratamento psicológico... Prefiro ir direto na prática... já li muito sobre vaginismo e sei o porquê da existencia dele em minha vida... não preciso que um psicólogo me diga isso...Mas é minha opinião... Bjos a todas... Sil.

Daniela Barros disse...

Oi, Dani!
Ai, vc é tão querida... muito bom ter vc por aqui e poder comemorar contigo sua vitória! Que bom saber que de alguma forma te ajudei... Muitos beijos pra vc!

Oi, Sil!
Vc tem razão! Não é tão difícil vencer o vaginismo! O segredo mesmo é persistência! Sabe, eu acho que a necessidade do psicólogo depende do caso, se vc está ok e bem resolvida quanto a sua causa e tudo mais, ótimo. Agora tem meninas que precisam de ajuda pra vencer outras barreiras antes de encarar o vaginismo... cada caso é um caso, né? hehehe Obrigada pelo comentário! Bjs

Anônimo disse...

Oi meninas!
Descobri que tenho vaginismo há 8 meses, após tentar a primeira relação sexual. A cada tentativa ficava pior... Há um mês recorri a tratamento..
Como sou fisioterapeuta, acho que está sendo um pouco mais fácil pra mim... Tenho feito fisioterapia (com uma colega) e em apenas 5 sessões o resultado foi fantástico... já consigo penetração parcial.

Existem exercícios, massagens, alongamentos, formas de calor, aparelhos de eletroestimulação que ajudam muito no tratamento. E a ajuda psicológica tbm é indispensável.

Minha médica disse que em média leva-se 6 meses a cura, mas isso depende de cada um.

Mas acho que levando os 2 tratamentos certinhos (físico e psico), a cura deve ser bem antes que isso.

O segrego é não forçar... é ter paciencia e dar cada passo de uma vez!

Ainda não estou curada, mas uns 50% melhor que antes com certeza, e caminhando pra isso.

Beijos e sucesso a todas!!!

Daniela Barros disse...

Oi, Anônima!
Vc tá mais do que no caminho, né? Que maravilha!
Acho que em muito pouco tempo vc estará aqui dando o seu depoimento de cura, hein? Espero que vc sempre venha partilhar suas conquistas conosco!
Obrigada por participar aqui!
Bjs

Anônimo disse...

Oi ,Dani!

Não imaginava que encontraria uma história igual a minha, sofro muito em meu casamento. Tenho vaginismo primário,seu relato irá me ajudar muito a buscar novas soluções para meu problema.
Espero em breve daro meu depoimento!
Bjs,

Mi

Daniela Barros disse...

Oi, Mi!
Que legal que vc gostou da história da Dani (que não sou eu, rs) e que de alguma forma ela vai te ajudar na sua luta!
Espero em breve ter sua história aqui, não desista nunca, viu? Tenho certeza que vc é capaz!
Conte comigo no que precisar!
Bjs

Anônimo disse...

Vocês acham que a cura é possível sem o tratamento psicológico?
Este blog tem me ajudado muito!
Obrigada a todas!

Bjs

Daniela Barros disse...

Oi, anônima!
Eu acho que a cura é possível sim sem o tratamento psicológico, mas não em todos os casos. Há mulheres que tem problemas muito "escondidos", medos que não entende, bloqueios... nesses casos, acho que a ajuda psicológica é imprenscindível!
Bjs e boa sorte!

Anônimo disse...

Oi, sou vitoria, tenho vagismo desde q tive a primeira relação sexual, ou seja, há 11 anos...favor, me ajudar, pois p meu esposo nao tem mais paciência e tb nao me procura mais, me sinto humilhada, infeliz, depressiva,ou seja, uma mulher incompleta...aguardo o retorno de vcs...

Anônimo disse...

Oi,Sou a mais nova vitoriosa do pedaço, sofri desde a minha primeira relação há 4 anos. To completamente curada graças á Deus e a esse blog que foi fundamental para minha cura total.

Anônimo disse...

A cura do vaginismo depede de vários fatores,procura ajuda em Deus,descarta qualquer problema fisico e força de vontade.Consegui minha cura assim.Usei as dicas do blog,comprei lubrificantes,me tocava e comprei um pênis de borracha e comecei a exercitar e hoje estou curada.Graças á Deus.

ESCOLA PRIMEIROS PASSOS disse...

Em que site posso comprar os dilatadores? Em sexy shop vende? Bjus...aguardo anciosa.

Anônimo disse...

acho que estou com esse problema, mas não tenho como desabafar com meus pais eles são de outra geração e severos. não se fala nesse assunto nessa casa. tenho 24 anos e tentei perder minha virgindade aos 23, não consegui. e agora? quero me curar mas tem que ser por mim mesma. não posso consultar o medico do plano pois iriam descobrir que eu o consultei e fariam perguntas e me criticariam. qyero resolver isso, quero ser uma mulher realizada e satisfeita sexualmente.

Anônimo disse...

Meu nome e fernando, estou casado a pouco mais de um ano e embora tenha muita experiencia ainda não consegui penetrar a minha esposa. Acredito que possa ter vaginismo e preciso ajuda-la. O que devo fazer?

MAHS disse...

Boa noite,
Dani qual o nome desse medicamento para tomar após o ato da penetração que protege a bexiga e evita a infecção urinária?
Desde já agradeço.

Anônimo disse...

Meninas, que bom encontrar esse espaço, estou na luta contra o vaginismo, mais infelizmente por conta disso perdi o marido...mais mesmo assim não vou desistir de me curar..adorei o blog..que bom saber que sou normal e que existem pessoas que também passam pelo mesmo sofrimento que eu!!

Postar um comentário

Que bom que vc decidiu compartilhar sua luta comigo! Vamos vencer, tenho certeza!
Agora eu aprendi, então, depois de comentar, pode voltar aqui que vai ter uma respostinha minha, tá?
Bjs