quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Por que começar um blog?

Pensei muito antes de decidir começar um blog sobre esse assunto... já tive outros blogs sobre outros assuntos, mas, na verdade, nenhum deles foi tão essencial como esse. Consegui encontrar três motivos principais para criar (e manter) um blog sobre Vaginismo, são eles:
  1. Preciso conversar com alguém que enfrenta o mesmo problema que eu, trocar experiências, tentativas frustradas ou de sucesso, preciso ter alguém que saiba do que eu estou falando para dividir minhas aflições
  2. Preciso desabafar, mesmo que ninguém leia, ou se lê não responda, eu preciso falar sobre o que estou vivendo, sentindo... Não sei se vocês têm alguém com quem conversar a respeito... eu só tenho o meu marido, pois não consigo dividir isso com mais ninguém... Tenho um casamento muito feliz, encontrei o homem dos meus sonhos, ele é incrível, sou até invejada por muitas pessoas por ter tudo isso, então não tenho coragem de me abrir com ninguém, porque as pessoas não entenderiam e achariam que o que eu tenho é frescura e tal e coisa...
  3. Acho que todas nós que enfrentamos este problema, precisamos saber se tem solução, não é? Logo que eu comecei minhas buscas na internet, encontrei uma infinidade de relatos tão deprimentes quanto o meu, e nada de finais felizes! Achei algumas histórias de "ex-vagínicas" mas todas em sites que vendem algum tipo de cura, e tudo que parece publicidade (pelo menos pra mim) não tem validade nenhuma. Acho que aqui no blog podemos dividir nossa luta, os artifícios que usamos, os livros que lemos, os tratamentos que fazemos e em breve (se Deus quiser!) a nossa cura!

O que acham? Querem vir comigo nessa? Vamos dividir nossas angústias e nos ajudar!!

Nesse blog, vou falar sobre o meu problema, desde quando eu me dei conta dele, sobre as minhas pesquisas na net, sobre tudo o que tentei e não deu certo, sobre os médicos que me "ajudaram", sobre o tratamento que estou fazendo agora, etc, etc.

Seria muito bom encontrar pessoas que estão passando pelo mesmo problema que eu e podermos, juntas, chegar a uma solução definitiva!

Vamos lá?

124 comentários:

Anônimo disse...

Olá... q bom saber q não a única extraterrestre nesse imenso mundo...
Gostei muito do seu blog, descobri há menos de 20 dia q tb tenho vaginismo...procurei ajuda e iniciei a terapia.
Acho q teremos muito o q conversar.
Bjs

Anônimo disse...

É dificil lidar com isso...
Como vc disse, a maiorias das pessoas, por ignorância talvez, acham que isso é frescura.
Graças a Deus tenho do meu lado, um homem que me apóia e que tem muita paciência com este problema.
Os médicos que fui não diagnosticaram o que eu realmente tenho. Mas acredito que a confiança e a cura principalmente, vão chegar. Abraço a todas!

Daniela Barros disse...

Oi, Anônima!
Vc tem toda a razão em tudo o que está dizendo. Muita gente não sabe o que é isso e acha que é frescura. Mas nem a gente sabe na verdade o que é de onde vem, né? Não dá pra exigir que uma pessoa dita "normal" entenda...
Agora o caso dos médicos me revolta bastante pq eles deveriam SIM saber o que é e conseguir diagnosticar, mas infelizmente eles não estão preparados... Então é importante ir a um ginecologista e eliminar as causas físicas, feito isso, só resta mesmo o psicológico...
O que importa é nunca desistir, pq tem cura sim, é só lutar (e muito!)
Bjs

Anônimo disse...

Meninas, venho através deste ótimo blog informá-las que há tratamento de excelência no Hospital São Paulo. Seguem informações:

O Hospital Paulista de Medicina, através do Projeto Afrodite, oferece tratamento gratuito para mulheres com disfunções sexuais, ou seja, mulheres com dimunuição ou ausência de desejo sexual, com disfunção de excitação (embora tenham suficiente estímulo sexual não alcançam suficiente lubrificação vaginal), mulheres com anorgasmia ou disfunção orgásmica (não alcançam ou tem dificuldade de alcançar o orgasmo), mulheres com dispareunia (dor durante a relação sexual) e mulheres vagínicas (são pacientes em que ocorre uma contração do canal vaginal que impede a relação sexual). A pessoa interessada deve ligar para o Ambulatório de Sexualidade da Universidade Federal de São Paulo- Escola Paulista de Medicina. A mesma passará por duas aulas sobre sexualidade e em seguida fará a avaliação e tratamento com ginecologistas, psicólogas e fisioterapeutas, dependendo da disfunção apresentada.

Comunidade no orkut: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=98095130

VAGINISMO TEM FIM, SIM!!! Dependendo do caso, a fisioterapia tem uma atuação muitíssimo importante e eficaz, e em outras situações, é realizado um trabalho psicológico associado.

Ambulatório de Sexualidade
Rua Embaú, 66, Vila Clementino.
Fone: 5549-6174.
O tratamento é GRATUITO!!

Dra. Priscila Gouveia
Fisioterapeuta do Projeto Afrodite

Daniela Barros disse...

Dra. Priscila, obrigada!!!
Vou divulgar seu comentário aqui, sim! Que lindo projeto! Um dia vou procurar conhecê-lo!
Obrigada novamente!
Bjs

Anônimo disse...

oi, só agora depois de oito anos de casada é que descobri o que realmente tinha.Imaginava que meu canal vaginal fosse pequeno, o que até mesmo não existia,sofria dia apos dia por não deixar meu marido fazer a penetração, sem entender o porque, não busquei ajuda por vergonha de não saber o que era, foi quando cai em depressão,buscando ajuda com uma psicologa que descobri sobre vaginismo e que eu não era a unica mulher no mundo a ter este problema.Estou em tratamento a quase oito meses, venho tendo progressos, ainda não consegui, mas nunca vou desistir,minha força de vontade faz muita diferença!Gostaria de me comunicar com pessoas que tem ou ja tiveram vaginismo,pois ajuda a sermos mais fortes para batalhar contra isso.
BJUs

Daniela Barros disse...

Oi, Anônima!
Vamos nos comunicar sim! E não desista mesmo da sua cura, lute sempre que uma hora esse problema será resolvido!
Boa sorte no seu tratamento e conte comigo para o que precisar!
Bjs

Anônimo disse...

Descobri a pouco tempo que tenho vaginismo. Estou com medo, tenho 19 anos e terminei um relacionamento de quase 3 anos, pq isso atrapalhava muito. Desculpem o desabafo, mas é confortante saber que não sou a única, e q talvez tenha uma soluçao pra isso. Abraço!

tenho fé disse...

Nossa Dani parece que vc sou eu,tudo que sentiu eu sinto!!Tenho tbm um casaamento feliz e invejado mas ninguém tem noção do que passamos,tem dia que dá um desespero,e vontade de deixar meu marido se satisfazer c outra,e até me separar!!AHHHHHH que aflição!!!

Anônimo disse...

Essa doença é muito triste,tenho 25 anos,casada a 3 e 8 de relacionamento e ainda sou virgem,descobri que tenho vaginismo ,logo depois que me casei,no inicio achava que era apenas medo,ou culpa por não ser casada,principios religiosoa entre outras coisas,mais depois descobri que não,descobri que na verdade tenho uma doença triste e deprimente,toda vez que falo do assunto choro muito e mergulho em uma depressão profunda,ja gastei muito dinheiro ,com ginecologistas e psicololos,e nada,simplesmente nada, sinceramente estou cansada de sofrer,ja pensei varias vezes em me separar e viver sozinha pra sempre, me dedicar em outras areas da minha vida e me realizar em outras coisas,mais...
Vou mais uma vez atras da cura ,vou procurar esse ambulatório de sexualidade.
Mais deixo aqui a minha pergunta será que meu caso tem fim????

MARIA ANGÉLICA ALCIDES disse...

Olá Daniela um prazer falar em seu blog, meu nome é Maria Angélica Alcides...fisioterapeuta do Projeto Afrodite, estou terminando minha tese de mestrado em Vaginismo, atendo as pacientes com esse tipo de disfunção a mais ou menos 5 anos, até o momento tive resultados fantásticos com as pacientes vagínicas...qdo quiser me procure no projeto, será um prazer recebe-la. Abraços

Ivan Ervilha disse...

Olá a todas,
entendo plenamente o que todas estão passando.
Gostaria de deixar a todas uma palavra de otimismo.
Primeiro não encarem o vaginismo como uma doença mas sim como um obstáculo a ser superado.
Procurem seu ginecologista para que ele verifique se existe ou não alguma alteração física que leve ao vaginismo.
Descartada a parte física aconselho de coração que todas procurem Terapeutas Sexuais, mas que trabalhem tanto a parte psicológica como a parte física. Só trabalhar com psicólogos ou terapeuta resolve... mas o resultado demora a aparecer. O ideal é unir as terapias.
pscilogia + terapia sexual + fisioterapia = tratamento de sucesso.
Procurem por profissionais que queiram escutar vcs. Que tenham tempo para atende-las com calma.
Em ambiente calmo e acolhedor.
Juntos, vcs e o profissional, conseguiram reverter este quadro.
Confiem... tudo da certo no final!
Atenciosamente,
Ivan Ervilha
www.ivanervilha.com

keninha disse...

Olá q bom que encontrei vcs.... tem momentos que pensamos até em desistir mas este blog está ajudando-me a ter esperanças.....
obrigada a vcs.... eu sou keninha e também sofro com este problema....

Anônimo disse...

Olá, Dani. Descobri seu blog hoje, gostei muito da sua iniciativa, pois compartilhar um problema com pessoas que tenha as mesmas questoes ajudam muito. Sou psicóloga e só consegui admitir para mim mesma que tenho vaginismo há pouco tempo, na verdade, agora, hoje. Vivo um período conturbardo no meu relacionamento, pois meu parceiro não entende meu problema. Como diz o ditado: 'casa de ferreiro, espeto de pau'. Ser psicóloga, claro, não me livrou do problema, apenas contribuiu para ter uma maior clareza sobre o que fazer, mas nunca fiz nada... Sinto as mesmas coisas que muitas mulheres relataram nos comentários: vergonha, medo etc. Meu caso tem algumas coisas parecidas com o seu. Ainda nao comecei o tratamento, apenas fui a uma ginecologista. Estou fazendo uma pós-graduação na Alemanha, mas volto para o Brasil em uma semana, quando irei procurar ajuda, ou seja, a psicoterapia e a ginecologista novamente. Cheguei um pouco atrasada, mas quero muito dividir minha experiência com você e suas 'leitoras' e comentar seus posts (não li ainda todo o blog).
Bjs! Ana

Carol disse...

Boa Tarde Meninas!
Quero deixar aqui meu depoimento...
Sofri muito com o Vaginismo, sofri durante 8 anos, com muita dor, choro e depressão.
Foi quando conheci uma fisioterapeuta sexual, relaizei o tratamento e em tres meses fiquei totalmente curada!
Hoje tenho uma vida sexual normal, as vezes nem eu acrdito nisso!!!
Não desanimem! mas procurem tratamento médico!
beijos!

Simone - Adoradora Reverente disse...

Oi, Daniela.
Ai, eu queria ter encontrado este blog antes...! Talvez não tivesse sofrido tanto.
Casei-me virgem há um ano e desde então venho sofrendo dessa "praga". Meu caso tem fundo emocional, causado por educação religiosa ERRADA.
Enfim, creio que Deus tratará de mim, assim como trata de todas vocês que vêm aqui.
Abraços carinhosos a todos. Fiquem com Deus...

Daniela Barros disse...

Gente!
Quanto comentário nesse post! Que legal! Vamos lá, vou responder um por um!

Oi, Anônima 1! Vc tem 19 anos, é bastante jovem ainda! Não tenha medo não. Quando chegar o próximo relacionamento, vá com calma que vc consegue! =) Com certeza há uma solução! Bjs

Oi, tenho fé! Nada de se desesperar e querer deixar seu marido procurar outra não! Vc pode e vc vai conseguir! Tem q lutar, viu? Se precisar da minha ajuda, pode contar! Bjs

Oi, Anônima 2! Claro que seu caso tem fim! Que ótimo que vc vai procurar o Ambulatório de Sexualidade, acho que vai te ajudar muito! Não desista do seu marido, do seu casamento e de vc nunca, tá? E se quiser conversar sobre o assunto, me mande um email! Bjs

Oi, Maria Angélica! Com certeza vou te procurar no projeto assim que tiver um tempinho, adoraria te conhecer, conhecer seu trabalho, sua tese de mestrado! Até breve! Bjs

Oi, Ivan! Bom ter opinião de profissionais da área por aqui! Concordo contigo em tudo o que vc disse! Parabéns pelo trabalho!

Oi, Keninha! Que bom que estou te ajudando de alguma forma! Não desista não, viu? Vc vai conseguir!!!

Oi, Ana! Olha, os homens não costumam entender logo de cara. Acho que na realidade qualquer pessoa que não tenha esse problema tem dificuldades para entender de onde vem. Geralmente pq a visão do ser humano é muito simplista mesmo, quer dizer: tem o buraco, foi feito pra isso, então pq não entra? E sabemos que não é bem assim. Tenha paciência com a "ignorância" do seu parceiro e não desista de vc! Ah! E vc não está atrasada não! Sempre estarei aqui pra ajudar e sempre terão outras meninas pra te apoiar, tá? Bjs

Oi, Carol!
Vc de novo, né? Me mande um email, por favor!
Bjs

Oi, Simone!
Nunca é tarde pra correr atrás da sua cura, viu? Eu acredito que a educação religiosa muito rígida pode ter contribuido para o seu problema sim. Também acredito que Deus te auxiliará neste caminho, mas vc precisa fazer a sua parte, ok? Procure ajuda especializada o quanto antes e se precisar de mim é só escrever! Bjs

Anônimo disse...

Olá, sou homem, acho q o único aqui XD, bem minha esposa tem vaginismo, estamos tentando a um ano até que descobrimos qual era o problema, antes a ginecologista afirmava que era anel fibroso e precisava de cirurgia, mas graças a Deus procuramos outras e descobrimos ser vaginismo. Quero deixar uma palavra de estimulo para todas vcs, iniciamos hj os exercicios, não desanimem, nem fiquem desesperadas, assim como apoio, tenho paciencia e disposição para ajudá-la, seus parceiros tbm irão entender. Apenas não desanimem, enfrentem o problema, com apoio e força de vontade, com certeza isso será superado, assim como espero minha amada com paciência, seus parceiros tbm. Garra, força de vontade e persistência. Grande abraço.

Daniela Barros disse...

Olá, homem! hehehe
Seja bem vindo aqui!
Adorei seu comentário e é bem legal pra gente saber o que vcs homens pensam a respeito deste nosso problema!
Obrigada por escrever!

Anônimo disse...

sou casda atreze anos tenho um marido mravilhoso que tem tido muita paciencia comigo mais me sinto inferior as outra mulheres e por isso sofro com depreçoes ciumes as vezes tenho vontade de desanimar da vida mais lendo esse depoimentos me encoragei e vou lutar pelo meu objetivo

Anônimo disse...

queria seu imail

Anônimo disse...

Eu ajudei minha esposa a se curar do vaginismo. Fizemos o tratamento em casa. Não foi fácil, tanto para mim, quanto para ela. Errei muitas vezes, fui impaciente, apressado e com isso a magoei.
Tudo é muito difícil para o homem. O fato de sermos ignorantes quanto ao problema e nunca imaginarmos isso, nos dá um nó na mente. Misturamos nossas ações e ficamos desorientados a primeiro momento. Mas homens tomem cuidado! Se dediquem incondicionalmente a elas, se caso a ame de verdade. Pense na superação da parte dela para vencer isso e arrume forças para se superar também. Deus é um ótimo auxílio nessa hora, não caia no mesmo erro que eu!!! Aprenda com o meu erro e evite o seu!
Hoje, Deus nos deu a vitória! Estamos felizes. Dedicamos a Deus nosso sorriso de alegria. O cordão de três dobras não se quebrou, pelo contrário, se fortaleceu.
Deus te abençoe e ajude vocês!

Anônimo disse...

Sou casada a nove meses e domingo dia 05/12 minha luta contra o vaginismo teve fim, graças á Deus! Só descobri que tinha quando me casei, pois, meu esposo e eu nos casamos virgens.
Meu esposo me ajudou na cura do vaginismo. Fizemos o tratamento em casa. Não foi fácil, nem pra mim, nem pra ele. Fui muitas vezes impaciente, com falta de fé e quase entrei em depressão. Tudo é muito difícil para a mulher que se vê impossibilitada de ser penetrada. O fato desse assunto não ser muito comentado, de início achei que tinha algo grave que não tinha cura. Misturamos nossas emoções e ficamos desorientadas.
Mas Deus é aquele que nos dá força. Busquei respostas para minhas perguntas e as achei em blogs como este. Um dia em outubro deste ano, Deus me deu uma estratégia, já que meu esposo não quis ir atrás de médico, pois, na única vez que fui, a médica foi grossa e sarcástica. Então decidimos fazer os exercícios em casa. Meu marido começou introduzindo um cotonete em minha vagina. Nossa foi muito difícil. Minhas pernas tremiam de medo. Porém com o passar do tempo fui me acalmando cada vez mais. Não fizemos os exercício todos os dias, pois, ficávamos muito cansados pelo serviço e a faculdade. Então fizemos com dois cotonetes, um dedo, dois dedos e até que três dedos, durante a introdução do dedo eu me masturbava e tentava relaxar e contrair o músculo da MAP. Escrevendo assim parece ter sido fácil, mas só Deus viu cada oração de súpliaca do meu esposo e eu antes de cada sessão. Quantas vezes chorei! Mas a cada dia nossa fé era acrescentada. No dia em que introdizimos os três dodos conseguimos a tão sonhada penetração pênis-vagina. Foi um milagre de Deus...como eu chorei. Não senti nenhuma dor...só ardeu um pouco para entrar....
Se não fosse Deus dar forças a meu esposo para me ajudar eu não teria conseguido. Depois dessa dificuldade muitas coisas melhoraram entre em meu casamento, pois, durante o período do tratamento não focamos no sexo mas sim em outras áreas do casamento.
Só descobri e tomei coragem em fazer os exercícios em outubro, acho que no total foram 10 seções de exercícios..então Deus me curou...
Nós tudo podemos em Deus. O cordão de três dobras (meu esposo, eu e Deus) não se quebrou, pelo contrário, se fortaleceu.
Que Deus acrescente a fé de todas, pois esta é a chave da vitória.

Daniela Barros disse...

Olá, Anônima casada há 13 anos!
Meu e-mail é danita.barros@gmail.com, pode me escrever que eu responderei!
Bjs

Olá, dois últimos anônimos!
Pelo visto vocês são um casal, né? E um casal que se curou! Graças a Deus! Se puderem, me mandem um email, eu gostaria de contar com a ajuda de vocês!
Obrigada, bjs

Anônimo disse...

olá daniela barros,td bem?
ficaríamos mto felizes de te ajudar,
o e-mail particular tbm é do g-mail, porém não o vejo mais depois que terminei a faculdade....
então quase tds os dias entro nesse site...se eu puder te ajudar pelo blog? me desculpe por n~eo ter outro e-mail para conversarmos....
mas me escreve......estaremos, meu esposo e eu, orando por vc..... e vc acertou...sim nós somos o casa.....e o maior milagre de fé foi q o depoimento do meu esposo ele escreveu uma noite antes de conseguirmos....e me disse para colocar nesse blog assim q obtivéssemos a vitória....

Vaginismo e Eu - Por Mabi disse...

Vaginismo e Eu - Por Mabi disse...
OLÁ! ADOREI SEU BLOG E TB FIZ UM, ESPERO O ACESSO DE TODAS (E TODOS...HEHE) QUE PESQUISAM SOBRE O ASSUNTO. NÃO SOMENTE ACESSEM COMO POSTEM SUAS VIVENCIAS SOBRE ESTE ASSUNTO QUE É TABU E TÃO DESCONHECIDO ATÉ HOJE. ESPERO VOCÊS LÁ, BJUSSS

http://vaginismoeeupormabi.blogspot.com/

Anônimo disse...

gente eu tenho esse problema e sofro muito com isso tenho depressaõ e nao consigo me curar fiquei muito feliz de ter encontrado esse blog,agora sei que nao estou sozinha com esse problema nunca procurei ajuda pois tenho muita vergonha de que minha familia saiba por favor me ajudem obrigado

Anônimo disse...

tenho 17 anos de casada e nunca consegui me curar desse problema fiquei surpresa de saber que muitas mulheres sofrem desse mal

Anônimo disse...

tenho vaginismo e me sinto inferior a outras mulheres por não dar o prazer da penetração ao meu marido ele é carinhoso e muito paciente comigo
porém me sinto muito mal com isso,chego a sonhar que estou tendo uma relação normal,é muito difícil ter esta doença só quem tem ou convive com alguém que tem para entender,já fiz terapia
mas não resolveu,não sei o que fazer.beijos.

Daniela Barros disse...

Oi, casal!
Que legal que vc entra sempre aqui no blog, fico lisonjeada! Então, eu queria publicar seu depoimento sob forma de post... Posso? Ah, e queria um nome pra dar a vcs, pode ser fictício mesmo, só pra colocar no post... pq acredito que as pessoas olham mais o que tá nos posts do que nos comentários... pode ser?

Oi, Mabi!
Acredita que fui no seu blog, li, escrevi um mega comentário e quando fui postar deu falha e perdeu tudo! Grrrrrrr! hahahaha Vou tentar de novo depois! Bjs

Oi, Anônima casada há 17 anos!
Nunca é tarde pra procurar a cura, viu? Vc viu por aqui que além de sermos muitas com esse problema, somos cada vez mais curadas? Se nós podemos, vc tb pode! Corra atrás! Bjs

Oi, última anônima!
Sei como vc se sente, pq tb já me senti assim, mas num adianta nada ficar sofrendo, viu? Tem é que correr atrás de uma solução pro teu caso! Quanto tempo de terapia vc fez? Tem gente que precisa de bastante tempo pra alcançar resultados. Tem gente que precisa é mudar de terapeuta... cada caso é um caso... mas não desista só pq não deu certo na primeira tentativa, viu? E conte comigo pro que precisar! Bjs

Carol disse...

Oi Pessoal!
Vim aqui para confirmar todos esses comentários!!!
Fui curada do vaginismo depois de muitas tentativas, passei por vários ginecologistas (acho que uns 9) e desses 8 nem comentaram a existencia do vaginismo, alguns até falaram que era "normal" que não há problema nenhum... uma medica chegou a me machucar com o espéculo... a maioria fez pouco caso do problema...
Até que depois de muita oração, choro, e paciencia um médico me comentou sobre o vaginismo e me encaminho para uma fisioterapeuta que me passou o tratamento, igualzinho esse que vocês relatam aqui no blog!com 3 meses de tratamento consegui a penetração...
Foram 2 anos de sofrimento continuo, mas a cura veio! Hoje completo 22 dias de casada, não sinto nenhuma dor na penetração, apesar do vaginismo ainda me assombrar em pensamento!
Mulheres e Homens! Existe cura sim!!!! não desanimem de buscar tratamento, existe muitos médicos despreparados, o Vaginismo além do fisico mexe com o nosso psicológico, traz depressão, solidão... não deixem se abater!!!
Beijos
Carol

Anônimo disse...

olá Daniela.....eu ficaria muito feliz de ver nosso depoimento no post.....
os nomes que você pode colocar é: Poly e Miguel....
Que Deus continue te abençoando nessa missão de ajudar tantas mlheres que emfrentam esse problema...
eu tbm tenho podidoajudar a mtas.....graças a Deus...
passamos por alguma coisa sempre com um objetivo...Deus quer nos usar como instrumento de bençãos em suas mão para ajudar outras pessoas....

bjs....

Daniela Barros disse...

Oi, Carol!
Que ótimo ter seu depoimento aqui! Será que vc poderia me mandar um email? Meu endereço é danita.barros@gmail.com.
Fico esperando!
Bjs

Oi, Poly!
Vou publicar sua história sim, obrigada! Fica de olho pq quando o post sair talvez as pessoas perguntem coisas diretamente pra vc e pro seu marido, tá?
Acredito mesmo que Deus tem um plano pra gente e é tão bom saber que de alguma forma estou servindo a Ele! =)
Vamos nos falando, tá?
Bjs

Anônimo disse...

Olá. Tenho 50 anos e tive menopausa precoce aos 32, mas isso nunca me atrapalhou. Após uma traição, por parte do meu marido, apesar de continuar tendo excitação, orgasmo,lubrificação, fiquei com vaginismo. Meu canal não é totalmente fechado, mas o suficiente pra não permitir penetração. Acabo de me divorciar!
Me sinto culpada pelo divórcio, penso que meu marido não era obrigado a conviver com isso e acabo justificando por este problema a nova traição que acabou com a nossa relação.

Daniela Barros disse...

Olá, Anônima!
Se culpar pelo fim da relação não vai ajudar muito, não é?
O que passou, passou e o negócio agora é tocar o barco... então não fique remoendo essas coisas se permita viver e ser feliz, quem sabe aparecendo um novo amor, um novo romance, vc consiga tudo novamente... Será que seu caso é vaginismo mesmo? Vc teve algum diagnóstico? Pq normalmente o vaginismo tá atrelado ao medo da dor e vc num parece ter isso... Vai ver seu caso tava mais ligado a uma reação sua "contra" a traição do seu marido e pode não acontecer com outro homem...

Poly disse...

ok daniela...vamos nos falando sim......
até mais...
meu esposo e eu estamos ansiosos para ver o depoimento publicado......

Anônimo disse...

Oi pessoal..quase chorei em ver o comentário de todos...estou passando por essa situação desde que casamos, a quase dois anos. Iniciamente pensavamos que era a a falta de experiência de ambos, mas o tempo foi passando, passando, me achava uma "anorma"l..ai comecei a pesquisar na internet e descobri que não era a única, porém, não me sentia a vontade para procurar um profissional...apos 1 ano e meio consegui ir à uma ginecologista que me diagnosticou com vaginismo e me encaminhou para um local que trata...porém...isso custa caro! e portanto, não tinha como iniciar o tratamento( convênio médico não cobre e nem reembolsa), hj entrei pra ver se tinha algo mais acessivel e vi falano do projeto afrodite, eu vou tentar...mas me sinto tão desanimada...as vezes triste, as vezes indiferente, e é como vi num dos comentário..mts não tem nem noção do nosso problema...e acha que somos um casal normal na área sexual...mas me conforta saber que não sou a única...irei tentar o contato no ambulatorio e retorno a vcs...Força à nós!!!

Polly disse...

olá anônima.....quero contar miinha hitória p te ajudar....Meu esposo me ajudou na cura do vaginismo. Fizemos o tratamento em casa. Não foi fácil, nem pra mim, nem pra ele. Fui muitas vezes impaciente, com falta de fé e quase entrei em depressão. Tudo é muito difícil para a mulher que se vê impossibilitada de ser penetrada. O fato desse assunto não ser muito comentado, de início achei que tinha algo grave que não tinha cura. Misturamos nossas emoções e ficamos desorientadas.
Mas Deus é aquele que nos dá força. Busquei respostas para minhas perguntas e as achei em blogs como este. Um dia em outubro deste ano, Deus me deu uma estratégia, já que meu esposo não quis ir atrás de médico, pois, na única vez que fui, a médica foi grossa e sarcástica. Então decidimos fazer os exercícios em casa. Meu marido começou introduzindo um cotonete em minha vagina. Nossa foi muito difícil. Minhas pernas tremiam de medo. Porém com o passar do tempo fui me acalmando cada vez mais. Não fizemos os exercício todos os dias, pois, ficávamos muito cansados pelo serviço e a faculdade. Então fizemos com dois cotonetes, um dedo, dois dedos e até que três dedos, durante a introdução do dedo eu me masturbava e tentava relaxar e contrair o músculo da MAP. Escrevendo assim parece ter sido fácil, mas só Deus viu cada oração de súpliaca do meu esposo e eu antes de cada sessão. Quantas vezes chorei! Mas a cada dia nossa fé era acrescentada. No dia em que introdizimos os três dodos conseguimos a tão sonhada penetração pênis-vagina. Foi um milagre de Deus...como eu chorei. Não senti nenhuma dor...só ardeu um pouco para entrar....
Se não fosse Deus dar forças a meu esposo para me ajudar eu não teria conseguido. Depois dessa dificuldade muitas coisas melhoraram entre em meu casamento, pois, durante o período do tratamento não focamos no sexo mas sim em outras áreas do casamento.
Só descobri e tomei coragem em fazer os exercícios em outubro, acho que no total foram 10 seções de exercícios..então Deus me curou...
Nós tudo podemos em Deus. O cordão de três dobras (meu esposo, eu e Deus) não se quebrou, pelo contrário, se fortaleceu.
Que Deus acrescente a fé de todas, pois esta é a chave da vitória.

Anônimo disse...

Olá.Estou pesquisando a fundo sobre o vaginismo.Não queria admitir essa realidade na minha vida,sei que tenho q ser forte.Graças a Deus tenho um namorado q me apoia.Hoje fui na primeira consulta da terapia.Torçam por mim,as vezes penso q não conseguirei.Deus ajude a todas nós!!!

Daniela Barros disse...

Oi, Poly!
Vc viu o post sobre sua história? Eu publiquei e esqueci de vir aqui avisar... Clique aqui para ver: http://vaginismotemfim.blogspot.com/2011/01/historia-da-poly-e-do-miguel.html Já tem alguns comentários, inclusive...

Olá, Anônima!
Eu acho muito legal vc procurar o Projeto Afrodite, tem muita gente indo procurar ajuda por lá e parece que é muito legal mesmo! Depois passe aqui pra nos contar como foi!
Bjs

Oi, última anônima!
Muito legal vc ter começado a fazer terapia, esse é um caminho de cura pra muitas pessoas! Estou torcendo muito por vc! Boa sorte!
Bjs

Anônimo disse...

oi tenho 30 anos e descobrie que tenho vaginismo e estou percebendo que essa doença esta mim deixando nervosa acabei o namoro mas nao sabia que essa desgraça existia na minha vida achei estranho e meu namorado as vezes brigava comigo quero saber de alguma ajuda

Anônimo disse...

minha ginecologista falou que eu tinha que ir em uma sexologa sera se vai resolver ou so vou gastar dinheiro estou muito aflita ete porque meu sonho é ter um filho e tenho medo que isso mim atrapalhe por causa da minha idade tenho 30 anos quero mim curar o mais breve possivel

Poly disse...

olá anônima..não desista....a daniela colocou minha história e do meu esposo em um post deste site...eu sofri muito também mas o que me curou não foram apenas o tratamento que fiz em casa com meu esposo sem gastar um centavo, o que realamente me curou foi a fé em Deus e acordar todos os dias, agradecê-lo e profetizar: eu vou conseguir em nome de Jesus....tenha fé...que Deus te abençoe.....você já conseguiu...eu creio...pelos olhos da fé eu vejo você escrevendo nesse blog contando sua vitória.........

Poly disse...

aa..muito obrigada Daniela pelo post...ficou 10...nós amamos..e que deus continue te usando para ajudar tantas mulheres....parabéns

Anônimo disse...

Olá meninas, descobri que tenho vaginismo desde o começo do ano passado, quando me casei. Já fiz várias consultas com minha sexóloga. Em casa sempre faço exercícios com tubos de ensaio que meu marido conseguiu pela net. Neste ano consegui enfiá-los por completo menos o mais grande, que ainda estou tentando. Conversar com uma sexóloga é ideal para o sucesso. A minha me deu varias dicas não somente sobre como fazer os exercícios, mas como é a forma que encaro a minha vida. Percebi que eu não usava os cinco sentidos por completo, que é audição, visão, olfato, tato e paladar e acreditem esse é o segredo. Ao tomar banho percebi que nunca me interessava em usar o tato para sentir a agua morna escorrendo em meu corpo, não usava o olfato para sentir o cheiro do sabonete, para escolher qual perfume usar... percebi que não usava plenamente minha visão pra poder admirar cores, paisagens... percebi que eu almoçava e jantava sem deleitar no gosto pelos alimentos que engeria, e tbm não usava a minha audição como forma de relaxamento em não só ouvir mas tbm CURTIR uma música. Talvez vcs estejam perguntando o que tudo isso tem a ver com sexo, mas acreditem, a forma como cada uma de nós encara a vida é a forma como encaramos a vida sexual. Se não relaxamos no nosso cotidiano, tão pouco relaxaremos na hora do sexo. Eu ainda não venci por completo o vaginismo, mas depois que descobri como encarar as coisas no cotidiano, a relaxar, a não ficar tão ansiosa com o amanhã, acreditem, foi aí que os tubos comecaram a entrar! Hoje consigo abrir bem as pernas na hora da relação, o que antes eu só ficava travada. Hoje consigo fazer pelo menos a cabeca do penis entrar, e estou cada vez mais perto de minha cura. Achei interessante o que minha sexóloga me falou, ela disse que toda vagínica que ela trata, acreditem, todas tem um grau de TOC (transtorno obsessivo compulsivo) e descobri o meu, tenho mania por limpeza e isso me deixava totalmente tensa, não conseguia ir dormir sem antes saber que toda a casa estava limpinha e cheirosa (herdei isso de minha mãe) e esse transtorno por limpeza, me impedia de exergar a vida, os cinco sentidos. Na hora do sexo eu só usava 1(um)sentido que era o tato, eu ficava pensando...vai doer, vai doer... e realmente doia muito. Na hora do sexo temos que estar com os cinco sentidos ativos, por exemplo, sentir o cheiro do meu marido, o gosto da boca dele, olhar alguma parte do corpo que me exita, pedir que ele fale coisas no meu ouvido e sentir na pele algo que desperte meu desejo, como um beijo no pescoço, um tapinha no bumbum. Acreditem, não adianta tentar despertar tudo isso na hora do sexo se na vida cotidiana, vc não faz isso. E outra coisa, com os exercícios não pensem em dor, porque a dor é psicologica, o que existe é incomodo. Lógico que ao enfiar qualquer coisa que seja na vagina todas sentem afinal não somo dormentas rs, mas a palavra chave é que tudo é apenas um incomodo e não uma dor. Espero poder ajudá-las com tudo o que disse aqui. bjs e sucesso a todas.

Anônimo disse...

Amei seu comentário Anonima!!!
Beijão
Carol

Anônimo disse...

Pessoal, resolvi escrever pois acredito que quanto mais informação e diálogo, melhor...Sem falar que a sensação de "eu não estou sozinha" é muito reconfortante. Tenho 29 anos, sou casada há 3 anos, e desde minhas primeiras relações sexuais (comecei aos 18) sentia dor na penetração e sempre senti pânico ao ter que enfrentar as consultas ginecológicas (afinal em todos os exames sempre senti dor). Mudei várias vezes de ginecologistas, e aqui vai minha dica: não desistam de encontrar algum que se sintam melhor,pois sim, há diferença na forma de os médicos examinarem, e alguns são mais ríspidos o que nos aumenta a ansiedade e logo, tudo fica mais difícil. Depois de mais de 10 anos trocando de médicos, este ano encontrei uma médica que posso dizer que mudou minha vida. Pela primeira vez uma médica que é um amor de pessoa (que por sinal me examina de forma a sentir o mínimo desconforto) me aconselhou a procurar uma fisioterapeuta especialista na área de sexologia, o que fiz, e desde então estou tendo grandes avanços. Apesar de muitos dizerem que a a dor é psicológica, ela não é. Claro que a nossa ansiedade influencia na nossa musculatura e logo, na nossa "abertura". Mas ainda assim, a dor, quando vem, é real. Com a fisioterapeuta aprendi a fazer diversos exercícios (faço em casa e em sessões na clínica regularmente), e igualmente aprendi que muito do que se fala em sites está errado. Cada caso é um caso...para algumas mulheres com vaginismo a dor é somente na penetração inicial, para outras a dor se mantém depois da penetração, etc. Por ex, no meu caso a fisioterapeuta disse para não introduzir objetos tais como esses cones ou tubos de tamanhos diferentes que se vendem em alguns sites, pois isso iria agravar ainda mais o caso. Cada pessoa tem uma musculatura pélvica diferente...e temos que fazer uma avaliação para saber qual o melhor tratamento a ser feito. Bem, para quem quer saber, faço deitada exercícios de respiração, exercícios de apertar e soltar a musculatura interna da vagina, exercícios sob uma bola de pilates, exercícios de manipulação da área certa com bastante lubrificante, exercícios com luz infravermelha, e exercícios com uma sonda que é colocada internamente pela fisioterapeuta e emite frequências diversas que vão relaxando toda a minha musculatura "encurtada" e digamos assim, "travada". Após cada sessão vamos percebendo os avanços (músculos mais relaxados, menos dor na penetração de um dedo, depois com dois dedos, menor dor em determinados exercícios e assim por diante). Ainda não estou "curada" (estou há 2 meses me tratando), mas estou extremamente feliz por ter conseguido essa ajuda e por ter saído do meu "casulo". Há tratamento para o que sentimos, e é muito mais fácil e rápido do que imaginamos. Além da parte fisiológica, corporal, ainda há a psicológica claro. Para aquelas que percebem que a psicológica pesa muito, procurem um psicólogo que com certeza ajudará no caso. Temos que a aprender a administrar a ansiedade e a nos permitir "abrir" para a sexualidade. E aos namorados, maridos, lembrem de serem muito carinhosos, atenciosos e pacientes... Uma hora ou outra vcs serão muito bem recompensados! ;)

Anônimo disse...

Oi meninas, sou a anonima do 3° comentario de baixo pra cima, quero contar a vcs que nessa semana em mais umas das consultas com minha sexologa consegui colocar o maior tubo de ensaio que tenho e apos isso vivo treinando constantemente em casa. Estou muito feliz com mais essa evoluçao. O meu problema era e ainda continua sendo, mesmo em baixa escala, relaxar.
Agora depois de quase 1 ano de tratamento posso dizer que estou aprendendo a fazer isso. A cura nao vem da noite para o dia, precisamos de empenho e perseveranca. bjs e sucesso a todas nos.

Anônimo disse...

Danita, já te disse por e-mail e repito aqui. Este blog simplesmente salvou a minha vida. Estava desesperada, já tinha desistido de transar nesta vida, e ler todas essas experiências, as mesmas sensações que tenho, as frustrações, as pequenas conquistas, tem sido muito animador. Graças a ti e às conquistas de cada vagínica eu tive forças para recomeçar o tratamento.

Sou casada há dois anos, ao todo são nove anos de relacionamento com meu marido (aquele casal "perfeito" e mega apaixonado que todo mundo inveja). Há algumas semanas, nos magoamos demais, ele disse o quanto isso o frustrava, que estava infeliz, eu cobrei uma atitude mais firme dele, enfim, falamos demais e acabamos dando um tempo.

Mas, apesar do sofrimento ABSURDO, agora vejo que ate foi bom, porque isso me fez perceber a gravidade dessa situação. Se ele continuasse passando a mão na minha cabeça, acho que continuaria vaginica ate o fim da vida.

Comecei introduzindo o dedo, depois ob mini, médio, super e agora estou com um plug, Ele tranca numa certa altura, mas antes não entrava nem um cotonete, então tenho muita esperança.

Vamos juntas vencer este pesadelo. Nos vamos conseguir!!!

Anônimo disse...

Procurem uma fisioterapeuta especialista nessa área que ela será a pessoa certa a fazer uma avaliação da musculatura pélvica de cada uma. Não saiam introduzindo objetos sem antes ter autorização profissional para isso. Para muitas, o fato de introduzir um objeto, e este causar dor mesmo que leve, só faz com que a mulher se "feche" cada vez mais como forma de defesa, para não sentir dor. Agora uma vitória para compartilhar: Gente...essa semana fiz um ultrassom transvaginal (como sempre estava surtando antes de fazer), mas depois de algumas sessões de fisioterapia, testemunhei um milagre hahaha Não senti dor NENHUMA (sendo que já cheguei a não consegui realizar o exame outras vezes). Tb já tive relação com o marido sem sentir dor. GENTE, HÁ SOLUÇÃO...E RÁPIDA. Procurem ajuda! Não sofram sozinhas! Outra coisa, a maioria dos médicos não tem conhecimento nessa área...não se frustrem! O negócio é cada vez falarmos mais para os médicos saberem dessa demanda. Andei sabendo que no Brasil 10% das mulheres tem algum grau de vaginismo. Alguns médicos relatam que toda semana recebem pelo menos uma paciente vagínica. Não estamos sozinhas! E há cura! UFA!

Daniela Barros disse...

Oi, Anônima!
Acho que sua gineco tem razão em te indicar um sexólogo (ou um psico com especialização em sexualidade), é muito importante descobrir o que te impede de conseguir a penetração. Às vezes a gente nem sabe o que está escondido em nossa mente, pode ser muita coisa! Uma coisa que vc viveu, ouviu ou ainda a forma como foi criada (entre outras tantas coisas) e o especialista ajuda-nos a descobrir. Pra mim, isso foi muito importante, me ajudou bastante. Se vc tiver condições de fazer, deve te ajudar sim. Vale a pena! Muita gente tb se curado com a fisioterapia uroginecológica, já ouviu falar? Tem dado ótimos resultados com as meninas que conheço, talvez fosse uma boa alternativa para vc! Boa sorte e conte comigo!
Bjs

Oi, Poly!
Que bom que vc gostou do post! E que maravilhoso que vc continua vindo aqui! Acho que vc pode ajudar muitas e muitas meninas com a sua experiência e espero tê-la sempre "ao meu lado" me ajudando nessa missão. Deus nos dê força e luz para sempre continuar!
Bjs

Oi, Anônima dos 5 sentidos (rs)!
Eu amei demais seu depoimento! Gostaria de transformá-lo em post, vc me autoriza? Por favor, se puder, me responda, eu acho que seria muito maravilhoso que as meninas que acessam meu blog possam ter contato com dicas tão preciosas e dadas de uma forma tão rica. Eu adorei e hj vou sentir o cheiro do meu marido, o gosto dele e tudo mais que vc indicou!
Obrigada!
Bjs
(vi teu comentário sobre seus avanços e fiquei mto feliz, parabéns! espero que vc continue evoluindo assim e rapidinho esteja curada!)

Oi, anônima da fisioterapia!
Adorei o seu comentário, achei muito interessantes suas considerações a respeito da musculatura vaginal e tals. Como vcs sabem, não sou especialista no assunto, só sei o que deu certo comigo, então é sempre bom saber coisas novas assim!
Obrigada por participar e apareça sempre! Espero que logo vc esteja curada e venha aqui nos contar!
Bjs

Oi, penúltima anônima!
Eu amo quando alguém me diz que eu a ajudo como vc me disse! Me faz sentir que vale a pena cada minuto que eu passo aqui em frente ao computador! :D
Estou muito feliz com teus avanços, continue que vc vai melhorar cada dia mais! E venha me contar os avanços, tá?
Bjs

Oi, última anônima!
Então vc está curada! Que maravilha! Me escreva um email se vc tiver interesse em publicar sua história aqui e em fazer parte do contador de curas! :D
Bjs

Anônimo disse...

Sou a anonima dos "5 sentidos" gostei do apelido rs, pode colocar meu depoimento sim, afinal estamos aqui para ser ajudadas. bjs e sucesso!

Anônimo disse...

Minha namorada tem vaginismo. Estamos há 1 ano juntos, e descobrimos isso por volta de 4 meses após o início de nosso namoro. Logo de início eu quis que ela procurasse um tratamento, porém o que me desanima até hoje, é que desde a confirmação dela ter este problema, em nenhum momento ela demonstra vontade algum de ir atrás resolver este problema, sempre tem alguma desculpa. Ou o lugar é longe, ou não tem tempo, não foi com a cara da pessoa, tava resfriada, tava com dor de cabeça.
Isso me deixa chateado, e extremamente irritado com ela, pois vocês mulheres ficam com esses papos de que são fortes etc e tal, mas é só um problema aparecer, já desabam em choro.
Queria ver se o marido de alguma de vocês tivesse algum problema sexual, se teriam tanta paciência como vocês querem que NÓS tenhamos.
Falar num blog que sim, que apoiariam, é fácil, mas queria saber se na realidade de suas vidas fariam isso mesmo, se em nenhum momento abririam a boca pra reclamar de nada nem mesmo para suas amigas.
Eu desde o início pesquisei sobre o assunto, psicólogos, fisioterapeutas, tudo sobre esse problema que só estraga a relação. Porém, minha namorada, toda vez que eu cobro alguma ação, alguma resposta, ela se ofende. Acha que sou extremamente grosso, que só penso em sexo, não a valorizo, entre outras coisas. Já chegou até mesmo a chorar, dizendo que se eu a amasse, iria continuar com ela de qualquer forma, mesmo que nunca resolva o problema.
Pra ela ter tido isso, e NUNCA ter ido atrás de resolver o problema, me passa a imagem de que essa situação está muito cômoda, pois pra mim, demonstra que isso serve como uma "segurança" pra ela. Talvez ela aproveite desse vaginismo para certificar que eu sou "o cara" pra ela. Pois caso contrário, se ela tiver relações comigo e no fim eu não ser esse "cara", ela não se sinta desvalorizada.

Se ofendi alguém, me desculpem.
Mas sinceramente, considero as "frescuras" femininas extremamente hiper-valorizadas.

Anonima disse...

Boa Tarde Anonimo!!

Imaginamos o quanto você deve estar "revoltado" com toda essa situação do seu namoro, realmente enfrentar o Vagisnimo não é para qualquer um nem para qualquer uma....
Somos mulheres sim, choramos muitos mas lutamos para buscar a cura,(temos muitas curas relatadas no blog, inclusive a minha), sua namorada deve estar sofrendo muito com a situação e precisa de um bom incentivo para buscar tratamento...
Não nos generalize, não chame nossas dificuldades de frescuras, e nem post palavras de desanimo, pois aqui nos ajudamos para buscar a solução do nosso problema

Daniela Barros disse...

Oi, anônima dos 5 sentidos! (rs)
Obrigada por me autorizar a publicar, vou colocar aqui na minha listinha e assim que tiver um tempo coloco aqui, tá?
Obrigada novamente!
Bjs

Oi, anônimo!

Gostei muito do seu depoimento! É importante que a gente tenha a oportunidade de ver o lado do homem e com isso tentar entender o que vcs passam com tudo isso tb.

Entendo a sua posição, entendo o seu sofrimento e acho que é justo vc dizer o que sente e antes disso é justo vc sentir, o que quer que seja, né? Todos nós temos sentimentos, todos nós reagimos diante da realidade que nos é apresentada.

O que eu posso dizer em defesa de sua namorada, é que eu tb fui como ela durante muito tempo. Não sei se vc leu toda a minha história e tudo o que eu passei aqui no blog. Lendo ou não, é importante que eu te diga que este blog só foi escrito quando eu consegui começar a procurar ajuda.

Infelizmente eu só consegui procurar efetivamente ajuda depois de 10 anos de problema. Deixa eu te explicar como foi isso. Durante muitos anos, eu ia ao ginecologista e o infeliz me dizia que eu era normal e só tinha que relaxar. E eu, infelizmente, acreditei.
Eu só soube do vaginismo, quase uns 2 anos antes de procurar ajuda, montar o blog e tudo mais. Isso mesmo, mesmo suspeitando do que eu tinha, eu ainda demorei 2 anos pra conseguir desempacar!

De começo, eu mudei de ginecologista e ele me disse que poderia ser vaginismo e me indicou exames, aí eu o abandonei. Pq? Pq na minha cabeça rolava um medo tremendo dos exames. Oras se eu não conseguia com meu marido que eu sempre amei, ia conseguir permitir a entrada de um objeto????

Pois é, daí fiquei um tempão estagnada novamente. Fui fraca, sim, eu assumo, mas como será que vc (ou qquer outra pessoa) reagiria com o turbilhão de sentimentos que estavam no meu coração? O medo, a humilhação, a vergonha que eu sentia...

É muito difícil vc chegar pra um desconhecido (mesmo um médico, psico, etc) e dizer: "olha, dr., eu tô aqui pq eu não consigo fazer sexo". Vc com 30 anos nas costas e não consegue fazer uma coisa que meninas de 11 conseguem. É muito humilhante e pra superar esse sentimento, custa um tempo.

Sabe, questões psicológicas não são muito fáceis de explicar e de compreender. Mas são muitas etapas que a gente tem medo e tem que ser muito, muito forte pra continuar. A gente tem medo de começar, depois tem medo dos exercícios, depois tem medo pq não está conseguindo fazer os exercícios... ao mesmo tempo a gente tem um medo louco de perder quem a gente ama, de ser traída, de não conseguir ser mãe nunca, de morrer sem antes ter conhecido o prazer... Olha quanta coisa!

Eu entendo tudo o que vc disse, mas eu quis te dizer isso tudo pra te ajudar a entender o lado dela tb...

Meu conselho pra vc é mostrar isso que eu te disse pra ela, sentar e conversar de coração aberto, dizer tudo o que vc sente, tudo o que vc pensa, escutar tb o que ela sente/pensa e dizer pra ela que vc quer q ela vá atrás de ajuda e q vc vai estar com ela lá, que vc vai apoiá-la, que vc vai acompanhá-la e que vc vai ser o companheiro que ela precisa, fazendo a sua parte, enquanto ela faz a dela.

Acho que seria um bom começo pra resolver essa situação, não acha? Afinal, vendo daqui, parece que vc gosta mesmo dela se não não estaria tão preocupado, não é mesmo?

Se vc a ama, lute pra que ela consiga superar este problema, tenho certeza que vai valer muito a pena!

Conte comigo!

Bjs

Daniela Barros

Anônimo disse...

Oii, eu procurei um blog ,pois eu preciso conversar com alguma mulher q tenha esse mesmo problema que o meu. Tenho 22 anos tenho um relacionamento sério a 6 anos e 4 meses de namoro com um homem. Descobri que tinha esse problema quando fui tentar ter minha primeira penetração , eu n entendi o por que que não entrava o pênis dele. Eu tinha tesão ,mas fui perdendo com o tempo, pois sinto dor na penetração. Eu travo minha vagina toda e impesso q aja penetração. O máximo que já entrou foi perto da metade do penis do meu noivo.
Gostaria de saber se vc já tentou fazer sexo com mais de um homem, e se consegue fazer uma penetração se masturbando ? Eu n consigo!!!
Aguardo respostas!!!
Beijossssss

Daniela Barros disse...

Oi, anônima!
Vc pergunta se eu já tentei fazer sexo com mais de um homem pq vc acha que a culpa pode estar nele? Se é isso, saiba que um dia eu tb pensei assim, mas num foi nada disso. Já tive dois parceiros sexuais e com o primeiro não rolava nada, eu achava que quando largasse dele e arrumasse outro, tudo estaria resolvido, mas num foi nada disso que aconteceu, demorou um tempão pra eu resolver o problema e tive que recorrer à terapia e tudo mais.
No começo eu tb não conseguia penetrar nem meu próprio dedo, nem um OB, nada disso, com o tempo que fui conseguindo.
O mais certo seria vc procurar tratamento, primeiro uma gineco pra ver se está tudo bem fisicamente, depois um terapeuta ou fisio... aí vc que precisa avaliar e decidir.
Conte comigo para o que precisar!
Bjs

Anônimo disse...

Oii sou eu outra vez, a mesma da msg anterior. Olha eu sei q o problema está em mim. Eu nunca tive relação com nenhum outro homem, e penso q por eu já estar nesse relacionamento a 6 anos e meio o tesão já não é mais grandes coisas entre a gente (normal), mas sentir tesão é mega importante nessa situção em q eu me encontro, oq penso é q as vezes com um outro homem ele n sabendo do meu problema e estando morrendo de tesão eu poderia tipo "enganar" minha mente para me entregar sabe... O q acha disso?
Outra coisa Dani, eu já fui diversar vezes ao ginnecologista, na última eu fui em um médico mega bom ... Ele explicou q físico está perfeito q realmente é psicológico, o estranho é q ele disse q acha q não é vaginismo pq normalmente a pessoa q tem isso prende após algo tentar penetrar, e eu já prendo qndo encostam ago. mas acho mesmo assim q é vagismo por ler sempre do assunto e me identificar com todasss as coisas sobre. Bom , tmbm já fiz terapia , mas n resolveu nadaaaa! Já fiz com 2 mulheres diferentes e mesmo assim a terapia nem ajudou. Ninhuem sabe o ponto X. pq n tenho trauma nenhum sexual. Acredito q foi pq minha mãe sempre repreendeu muito essa questão pra mim , me infantilizando smepre e tals. Sofro muito com isso. Dani eu li uma vez q tem um cirurgião colocando botox dentro da vagina das mulheres q tem vaginismo. O botox faz com q mulher n consiga contrair , com isso a penetração acontece. O q acha?

Anônimo disse...

OLÁ DANIELA, TUDO BEM? TENHO ESSE PROBLEMA E DESCOBRI QUANDO PERDÍ MINHA VIRGINDADE! É UMA LUTA CONTRA MIM MESMA, QUERO VENCER E POR ISSO ESTOU A PROCURA DE AJUDA, POIS EU JAMAIS ENCONTREI ALGUMA MULHER PESSOALMENTE PARA MIM PODER ESCLARECER ALGUMAS DÚVIDAS... EU ACABEI DE LER NO SCREP ACIMA QUE ESSA MOÇA LEU Á RESPEITO DE POR BOTOX NA VAGINA, EU GOSTARIA DE SUA OPINIÃO JUSTAMENTE NISSO. QUANDO PASSO LUBRIFICANTES NA MINHA VAGINA ANTES DE TER RELAÇÃO, EU SINTO QUE O PÊNIS DO MEU PARCEIRO ENTRA COM FACILIDADE, MAS AO MESMO TEMPO EU SINTO ALGO MUITO ESTRANHO É COMO SE AQUILO QUE ESTIVESSE PENETRANDO NA VERDADE N TINHA Q PENETRAR. COMO SE ESTIVESSE ME INVADINDO . MINHA PERGUNTA DANIELA É SE VC TMBM SENTIA ESSA MESMA SENSAÇÃO ANTES DE TRATAR DO VAGINISMO ?
VC É DE ONDE?
ABRAÇOS E OBRIGADA!

Anônimo disse...

Só descobri q tenho vaginismo após passar por um grande trauma...Tive apenas 2 relações sexuais durante a vida, ambas dificeis de ter a penetração, mas achei normal, afinal eram as primeiras vezes...Só que isso faz muito tempo, desde então não tive mais relação. Porém a pouco tempo conheci um rapaz e ao tentar ter relação com ele, senti um pouco de dor (o que julguei natural, afinal estava sem fazer a muito tempo e estava ansiosa), porém ao ele retirar o pênis percebemos que eu estava sangrando...este sangrando se tornou uma hemorragia e fui parar no hospital!!!! Após isso a médica me informou que tenho vaginismo e que só posso ter relação sexual após me curar disso. Sempre tive problemas em fazer o preventivo e nunca nenhuma médica me tinha dito isso!! Estava me sentindo mto mal pois nunca tinha ouvido sequer falar disso, agora q acabei de achar este blog começo a ver que não sou a única a ter este problema, apesar de ainda não ter conseguido achar nenhum relato de alguma mulher que teve hemorragia devido ao vaginismo. Se alguma de vocês já ouviu este tipo de relato antes peço que postem aqui e gostaria de perguntar se alguém tem alguma terapeuta do Rj para me indicar?
Abraços.

Leonardo disse...

Boa noite "anônima" e Daniela.

Sou o namorado do desabafo de alguns posts acima.

Obrigado pelas respostas.
Quando disse que mulheres são frescurentas, eu considero que sim, são.
A "anônima" diz pra eu não escrever coisas desanimadoras. Por que não?
Pra ajudar a acobertar o comodismo de milhares de mulheres com vaginismo?
Pra vocês continuarem imaginando que seus namorados/maridos vão continuar eternamente esperando vocês na maior boa vontade. E vocês achando que eles consideram uma situação dessa perfeitamente linda e normal.

Relato coisas desanimadoras SIM, pois essa situação pra mim é um completo desânimo.
Tanto que já nem sinto mais tanto tesão pela minha namorada por causa disso.
Pra que vou me excitar com ela, se tudo vai terminar em um sexo oral? Sinceramente, não vejo graça nisso. Se é pra parar no começo, prefiro nem começar.

Para a "Daniela Barros", li todo seu blog sim. Fiz até minha namorada lê-lo por completo.
Eu nunca tive nenhum problema psicológico, mas físico tenho.
Quando praticava Karate lesionei minha mão direita, há 2 anos. Desde o início fui atrás de tratamento, e no SUS! Pois nessa época eu não tinha convênio.
Eu fiz de tudo possível, arranjei até uns "esquemas" pra fazer exames mais rápidos. Fiz diversos raio-x, ultrassom e ressonância magnética. Só que infelizmente nenhum exame ou médico sabe dizer porque sinto dor na mão.
O meu ponto em relatar tudo isso é... que desde quando tive noção do meu problema, fui atrás, de qualquer maneira possível, ver se conseguia solucionar minha dor. Estou há 2 anos nisso, sem nenhuma melhora, sentindo dor na mão TODOS OS DIAS. Quase como o "Dr. House" do seriado da tv.

Eu vou atrás porque eu quero sanar meu problema, já que é algo que me afeta, e MUITO.
Agora o que vejo em mulheres com vanigismo, é um total conformismo. Preferem fazer choradeira e cara de bunda, do que dar a cara a tapa e fazer algo. A mulher reclama do vaginismo, que atrapalha a vida sexual do casal, mas também não faz absolutamente NADA pra tratar? Estranho, não acha? Se fosse algo que incomodasse TANTO assim a pessoa, ela iria até de madrugada no dia 25 de dezembro durante chuva, pra se tratar.

Peguei muita fila de SUS 6:00 da manhã pra procurar tratamento da minha mão, e nunca abaixei a cabeça.
Mulher fica torrando o saco do cara, querendo que ele não fique cobrando o assunto, ou pior ainda, perguntando todo maldito dia se está traindo. Mas a bela donzela criar vergonha na cara pra se tratar... ah coitada, isso ela não pode?!

Tenha dó...

Desculpem pelo tom exaltado, mas é que esse assunto me irrita.
Novamente minha namorada pulou fora de um tratamento, a desculpa dessa vez foi "nenhum horário encaixa pra mim".

Anônimo disse...

kkkkkkkkk não sei se rio ou choro do comentário do moço acima. Bom eu tenho vaginismo meu querido e te falo que não é como um problema FÍSICO! A pessoa que tem esse tipo de problema realmente é desmotivada a tratar. Na verdade qlquer pessoa com problemas psicológicos tem dificuldade de começar e finalizar o tratamento. Tudo bem que para um namorado deve ser um saco conviver com uma mulher com vaginismo , toda vez é a mesma história e tals.... Mas meu amigo não julgue assim nós mulheres com esse problema pois um probleminha na mão não se compara com o constrangimento de não conserguirmos sermos mulheres, Vc tem noção oq é para nós não conseguirmos dá gostoso como qluer mulher consegue???!!!! Me sinto incapaz de agradar , satisfazer e completar um homem na cama, como posso ser mulher?! Isso vai além de uma dorzinha na mão ou de algo físico, existe coisas dentro de nós q nos fazem ter esse problema, é algo secreto até ara nós mesmas..... UMA LUTA CONTRA NÓS MESMAS..... Preciso todos os dias me encarar de frente a frente e dizer para mim mesma que preciso ser mais forte do q isso, que preciso ser feliz, que mereço ser feliz....

Outra coisa, namoro a 8 anos e meu namorado não aje como vc, deve ser pq sente amor de verdade! Ele n apoia minha preguiça de tratar , mas tmmb n me culpa! Isso q vc está fazendo só deixa sua namorada pior, pq ela se sente culpada e infeliz... Isso n adianta! Se vc é um homem de verdade e ama ela de verdade, dê força ânimo , faz amor com ela sempre dizendo no ouvido dela que ela é uma mulher e q está preparada para receber seu pinto, ela pode el consegue!
Isso equivale a seis meses de tratamento !!!

Anônimo disse...

Queridos
Acredito que esse Blog foi criado pela Dani para ajudar no tratamento do vaginismo, para apoiar... aconselhar... enfim...
Comentarios desse nivel não devem ser colocados aqui, você homem que queira desabafar, falar da sua situação como tal, fique a vontade, isso nos ajuda sim, mas o nivel "exaltado" como o amigo mencionou a cima não deve ser colocado, isso não leva ngm a crescer, muito menos você colega.
Procure ajude psicologica para sua namorada,talves para você, talves até ela esteja precisando de uma motivação a mais....
Boa Sorte para você e para sua namorada!

Anônimo disse...

Olá Daniela!
Estou esperando sua resposta a dias....
Está acima do comentário do namorado de uma das meninas. Pode me responder por favor????!

Anônimo disse...

TEODORA - ANONIMA
ola meninas...li vários comentários e n lembro se já postei aqui ou outro blog...pq foram muitas as pesuisas..!Descobri q tenho vaginismo por minha gine, namorei, casei virgem, e isso faz 2 anos e até agora temos problema na hora do sexo..tudo vai bem, mas quando é a hora da penetração..eu sempreo travo..quase morro de dor, sem contar q n entra quase nada! meu marido nunca teve outras experiencias..e estamos juntos nisso! Minha gine falou p eu fazer um tratamento com a sexologa, até fiz a primeira visita, mas o preço era caro, pq ela n fazia pelo plano e ainda teria q ser toda semana, aí acabei desanimando pq eu e meu marido só nos vemos aos finais de semana, e tb estávamos construindo e gastando muito dinheiro..enfim foi uma série de motivos! meses depois, agora estou bem animada pra tentar melhoras..e como li muita coisa, começei a fazer uns exercicios sozinhas e deu certo..consegui introduzir até 2 dedos de uma vez, com muito Ky..e conversei com meu marido sobre tudo isso..no começo ele achou meio estranho, faz depois se habituou e entrou na brincadeira...! esse fds pedi pra ele fazer isso..e consegui com q ele introduzisse 1 dedo dele por completo, o melhor de tudo...sem dor! fiquei super feliz...e iremos treinar gradativamente dessa forma...1 dedo, 2 dedos, O.B....e depois penetração...se n der certo nos proximos meses..mx 2 a 3 meses...procuramos um acompanhamento médico...opinem meninas por favor...bjs ah ...esse assunto da minha vida ninguem sabe, a n ser meu marido...!

Anônimo disse...

olá.tenho 26 anos e descobri meu vaginismo esse ano, pois meu marido buscou informações pela internet. Acredito que começou por uma reação exarcebada da minha mãe quando admiti que tinha interesse sexual com meu namorado aos 15 anos...ela surtou e me fez sentir a pessoa mais suja e inconsequente do mundo.depois, entrei numa religião que condena o sexo antes do casamento,pensei,vai ser fácil, daí, meu primeiro namorado nela, quando contei que tive a intenção,quase surtou.Acabei enxergando que eu não poderia ser uma mulher, porque ninguém me aceitaria por sentir desejos sexuais nessa religião. quando ja havia desistido, conheci meu marido.Demorei um mês para achar que tinha perdido a virgindade desde que casei. Depois passei quase um ano sofrendo dores insuportaveis na penetração e sempre muito dolorida apos...descobri que minha ignorancia era tao grande que eu estava fazendo sexo anal e nao sabia. Descobri que em quase dois anos nao havia feito sexo com meu marido.procurei psaicologa,nao consegui mais que cinco meses de terapia, e nem cogitei sexologo, pois nao tenhu condições de bancar.entrei em uma sex shop duas vezes e tive uma crise de panico ao sair.Nunca fiz um exame ginecologico e quando eu sentia dores extremas, consegui fazer uma transvaginal aos berros sangrei e tudo. Estava obtendo um pouco mais de satisfação e segurança com minha "vida sexual", ganhando mias auto-estima para tentar ir mais alem, ate que minha historia toma um rumo que muitos de vocês nao esperavam...engravidei!
Quase surtei, poruqe tentei muito, mas por nao conseguir penetração e twer problema hormonais, estava sem esperança, mas aconteceu.Eu fingia uqe nao era comigo, curtia mais essa vitoria, quando no quinto mes, sofri umas odres horriveis apos ir a feira, sem carregar nada, so andar, e fui para na mergencia. A medica, muito estupida, me falou, vou te examinar, me mandou tirar a roupa, eu tirei e ela veio para me penetrar com o dedo, ai voc~es ja sabem, travei, comecei a ficar nervosa e ela saiu da salinha batendo a porta e gritando, se você quer sentir dor, sinta, sem exame, sem remedio! e me deixou la dentro aos prantos. Fui para casa, chorando de soluçar e sem solução para a mminha dor...ai, eu fui a outro pronto socorro a noite, e, apesar dos medicos serem mais cuidadosos, tambem nao consegui. Chorei. muito. Agora, ja no setimo mes, troqueio de obstreta, e ele, incrivelemnte, contrariando tudo o que os medicos anteriores me falaram, me tranquilizou dizzendo que eu nao preciso me torturar so porque estou gravidae nem apressar esse processo tao lento por achar que eu estou matando meu bebe por negligencia (juro que aquela cavala falou isso tambem) e me disse, que ja fez varios partos, que sao raros, mas atenfeu varisa mulheres ate o parto sem nunca ter feito um toque. E que ha exames que podem dar diagnosticos tao precisos e que pelo menos, me darao tempo para me tratar. E apos o parto, estudaremos meios para começar o meu processo de cura, mas que eu nao me culpasse por nao conseguir ser examinada,amo minha filha e estou no rumo certo para me curar. Ele me disse que a terapia me daria mais autoconfiança e me ajudaria,pois preciso primeiro lidar com a ansiedade e a cobrança excessiva uqe faço a mim mesma, oq me tem impedido de curtir a gravidez plenamente. Tive um corrimento e o medico falou que nao poderia tomar nada via oral e me passou um creme vaginal...minha obstinação era tao grande de nao prejudicra meu bebe que, difermte de outras vezes, q a caixa perdeu a validade, abri e tentei, nao penetrei, mas mentalizei que nao era so por mim, mas por ela...mas por nao conseguir penetrar adequadamente, o corrimento persistiu, e comprei outra caixa...tentarei mas e muito dificil...mas achu que a gravidez esta me dando um estimulo. E tenhu muita fé de que, após o parto, terei muitas dificuldades, mas agora,, me sinto menos pessimista e descobrinco esse blog, acredito que estou no caminho certo.

Anônimo disse...

Olá meninas, sou a anonima dos 5 sentidos...Quero poder dividir minha alegria com vcs, finalmente, depois de +de 1 ano consegui minha primeira penetração. Estou muito feliz! Vejo que tudo na vida tem que ter determinação. beijos

Anônimo disse...

Olá meninas, gostaria de tirar uma dúvida. Alguma de vcs já imaginavam que teriam dificuldade na relação sexual, antes de descobrirem que tem vaginismo? Alguma já sentia dor desde pequena, ou só de sentar?

Anônimo disse...

Hum...
Meninas, cadê as historinhas de vocês?? Vamos movimentar esse blog isso é importante para nós. Saber das experiências alheias, como andam o tratamento para àquelas que já iniciaram o tratamento e incentivar a buscar o tratamento p àquelas que ainda não buscaram. Gosto tanto de ler as histórias, semelhanças em certos pontos. PS.: Fiz alguns posts nos "post relâmpago" contando a minha história.

Bju grande!!

**BELLE**

Anônimo disse...

Respondendo ao penultimo comentário.
Sim. Eu sempre sonhava com minha primeira relação sexual, porém, sempre achava que não iria conseguir penetrar, quanto a dores só em tocar..não, mas eu tinha temor em colocar o dedo perto da vagina, achava que aquilo fosse tirar minha virgindade.
Sou a anônima dos 5 sentidos. depois de quase 1 ano lutando contra o vaginismo, cosegui minha cura. A minha maior vitória foi poder ter jogado no lixo os tubos de ensaio que usava para meu tratamento, que alívio isso me deu. Hoje com 2 meses de penetração sem frustação vejo que o maior vilão da maioria dos vaginismos é o nosso cérebro. Quando estou sendo penetrada sem estar ligada na vagina, ou seja, pensando em outras coisas, curtindo meu marido, não sinto dor alguma, nenhum incomodo, daí quando tenho minha atenção toda para a penetração, a vagina fica contraída e começa a incomodar. È inclìvel meninas, tudo está em nosso cérebro.
Bom, agora para fechar minha história, segundo minha sexóloga, preciso voltar na ginecologista que detectou imediatamente meu problema me indicando a profissional certa para me tratar. Tenho de ir lá para agradecê-la e dizer o quanto ela pode ajudar meu casamento e que ela faça sempre isso com todas as vaginicas que aparecerem por lá. Acho que vou levar tbm uma caixa de bomboms em forma de agradecimento rs, afinal ela merece. E assim fecho minha história. Um beijo e sucesso a todas nós!!!!!

Anônimo disse...

Respondendo ao post da colega, eu tb sonhava com a minha primeira vez e não imaginava que não conseguiria, porém tb não conseguia colocar o dedo em minha vagina durante o banho, não doia mas me dava muita aflição.
Hoje estou totalmente curada (após 4 anos de busca pela cura e 4 meses de tratamento) tenho relações normais, sem dor e nem aflição!
Beijo Grande!

Anônimo disse...

Gentee tenho uma declaração para fazer e espero poder com isso ajudar todas as mulheres que passam pelo mesmo problema que eu passei; O tal Vaginismo...

Eu namorei a anos com um rapaz e nunca tinha conseguido ter relação, simplesmente não entrava. Exames e nem OB. nadaa!!!!

Na minha última tentativa de fazer o preventivo (sem sucesso) meu ginecologista me falou:

Vc precisa tentar fazer com outro homem antes de casar. vc n pode casar com essa pessoa, pois falta tesão entre vocês e tals.

Na hora fiquei um pouco assustada... Mas, pensei muito sobre isso , e juntando todas as outras coisas q eu n estava satisfeita e nem feliz em meu relacionamento, decidi terminar.

Terminei meu relacionamento de 6 anos e meio. Esperei duas semanas para sair de casa.
No dia em q eu resolvi sair conheci um homem lindo, que me despertou tesão......

Ele é mais velho e tive uma hora q expor meu problema para ele.

Ele agiu tão naturalmente como se aquilo não fizesse diferença na quele momento.

Tentamos ter relação, não entrou nada!

Fiquei depre! Pensei.. é realmente o problema está e mim.

Na segunda noite bebi uma garrafa de vinho, fomos pro quarto dele e eu estava louca de tesão... Por incrivel que pareça EU CONSEGUI!!!

entrou tudo e ainda por cima tive orgasmo amigas!!!!

Foi a melhor sensação que tive em toda minha vida. Me senti mulher!!!

Meu conselho meninas é que tente fazer com outra pessoa. Mas, com alguém que vcs sintam tesão confiança.

No meu caso o pênis desse moço era um pouco mais fino do que do meu ex, isso ajudou tmbm.

Mas, a maneira como o homem coloca o pênis dentro da gente, a química entre o casal faz TODA a diferença!!!!

Sejam felizes e lutem pela felicidade de vocês!

Eu não tinha problema algum e passei 6 anos e meio da minha vida deprimida gastando dinheiro com terapia e agora fui saber que meu ex me traia com protitutas toda semana.

Homem nenhum aguenta viver tanto tempo ao lado de uma mulher sem sexo!

Então mulheres façam a terapia de tentar fazer com outro cara e bebem bastante vinho antes tudo vai dar certo!!

Torço muito por cada uma de vocês!! beijo grande ;)

Daniela Barros disse...

Oi, anônima 1!
Olha, eu não acredito muito que trocar de parceiro vai resolver o problema do vaginismo, mas se vc tem isso na cabeça, eu acho que vc pode tentar, vai que pra vc dá certo? Acho que o vaginismo num tem receita de bolo pra cura, sabe? Cada mulher funciona de uma maneira, vai saber...
Sobre as terapias que vc já fez, alguma delas era especializada em sexo? Pq psico normal, num dá conta mesmo... pra curar o vaginismo tem q trabalhar o psicológico E o físico, só um dos dois não resolve... Pq eu tb não tive nenhum trauma sexual e tinha vaginismo sim...
Sobre o botox, eu acho besteira, pq vc num dá resolvendo o problema em si, vc está “anestesiando” um parte do seu corpo, pra mim é como empurrar a sujeira pra baixo do tapete, sabe? Parece que resolver mas não resolver nada...
Acho que vc tem que investir num terapeuta legal que te acompanhe psicologicamente e te dê exercícios, ou então uma fisioterapeuta uroginecológica tb pode ser uma alternativa...
Bjs

Oi, anônima 2!
Sou de SP e eu não sentia essa sensação de invasão não, mas isso não quer dizer nada, pq somos parecidas mas não somos iguais, né? Eu acho que vc deveria procurar um terapeuta pra ver essa questão da sensação de invasão...
Agora me explica uma coisa que eu não entendi: vc consegue a penetração com lubrificantes e tals? Pq a vagínica não consegue ser penetrada, se vc consegue, seu caso não é de vaginismo, então o ideal é marcar uma consulta com um terapeuta sexual e contar sua história, ele vai poder te ajudar a entender o que vc tem.
Sobre o botox, eu respondi acima.
Bjs

Oi, anônima 3!
Eu já respondi esse seu comentário em outro post, dá uma olhadinha onde mais vc postou, por favor!
Se não encontrar, me fala que eu respondo de novo! Rs
Bjs

Oi, Leonardo!
Eu acho que vc tem todo o direito de dizer o que pensa, mas se vc escreveu aqui é pq quer saber o que eu penso tb, não?
Bom, de qquer forma, vou dizer: é MUITO diferente vc chegar para um médico e dizer “olá, dr, eu cai no karatê e ngm consegue descobrir pq minha mão ainda dói depois de tanto tempo, vc pode me ajudar?” ou dizer “olá, dr, eu não sei o que acontece mas a minha vagina tem algum problema, pq eu mesmo estando excitada e morrendo de tesão pelo meu namorado, o pênis dele simplesmente não consegue entrar. Eu já fui no ginecologista e ele disse que minha vagina é normal, então será que eu sou maluca?”
Eu entendo que vc não aceite, mas é, meu amigo, pimenta nos olhos dos outros, no teu é refresco!
Não sei como vc reagiria se vc tivesse que ir a um milhão de médicos pra entender pq seu pênis não funciona, como vc reagiria? Tenta pensar nisso!
E se sua namorada quiser falar comigo, fala pra ela me escrever um email!
Abs

Daniela Barros disse...

Olá, anônima 1! (recomecei a contagem depois do Leonardo)
Obrigada por tentar aconselhar o Leonardo, viu? Vamos ver no que dá!
Bjs

Olá, anônima 2!
Obrigada por defender a integridade do blog, querida! Mas eu gosto da polêmica, acho que a gente precisa ouvir mesmo o que o parceiro tem a dizer e é bom que o Leonardo não tenha papas na língua e diga tudinho que ele sente, acho que isso nos ajuda a entender pq às vezes nossos namorados/maridos compreensivos não agüentam e explodem. Ajuda-nos a valorizar tb o que eles passam e como é difícil o lado deles. Cada comentário vale a pena! =)
Bjs

Olá, anônima 3!
Desculpe pela demora, mas agora respondi! Espero que ainda contribua contigo de alguma forma!
Bjs

Olá, Teodora!
Eu acho que vc está indo muito bem! Apesar de não poder pagar a psico, vc continuou insistindo nos exercícios e é muito importante que seu marido participe. Dê uma olhada no exercício de dessensibilização, acho que pode te ajudar muito!
Bjs e vamos nos falando!

Olá, anônima!
Estar grávida é uma benção! E se aconteceu contigo era pq era pra acontecer, então acalme-se e aproveite o momento! Deixe pra resolver o seu vaginismo depois que tudo passar! E que bom que vc encontrou um bom médico que te ajuda e te apóia nesse momento tão difícil! Já conheci muitas vagínicas que tiveram bbs sem curar o vaginismo e conseguiram levar a gravidez e o parto numa boa, então fique confiante que tudo vai dar certo!
Conte comigo para o que precisar!
Bjs

Oi, anônima dos cinco sentidos!
Que maravilha que vc conseguiu! Me manda um email? danita.barros@gmail.com
Bjs

Oi, anônima!
Eu nunca pensei que fosse ter vaginismo, eu não sentia nenhuma dor quando sentava, andava nem nada, eu só tinha dificuldades pra colocar um OB mas eu achava que isso era normal em virgens...

Oi, Belle!
Vou postar algumas histórias de meninas que já se curaram, ta? Fica de olho!
Bjs

Anônima dos Cinco Sentidos!
Me manda um emaaaaillll, quero colocar sua história inteira aqui! Deixa? rs
Bjs

Anônima curada!
Vc que respondeu o comentário da colega, me manda um email?
Quero encher esse blog com posts sobre cura, assim estimulamos ainda mais as meninas!
Bjs

Oi, última anônima!
Que legal a sua história, será que era vaginismo mesmo ou seu médico tinha razão e era só falta de tesão? Se puder, me mande um email!
Bjs

Sofia disse...

Tenho 17 anos (faço 18 em Abril do proximo ano)e tenho quase acerteza que sofro de vaginismo. Nunca tentei ter uma relação sexual (até pq não tenho namorado) mas não consigo colocar um tampão. Já tentei muito muito muito e simplesmente ele não entra. Quando fizer 18 vou a um gnecologista (pois tenho medo que como nao teho 18 o meu problema nao seja levado a serio ou que tenha de ir ainda ao pediatra). O que posso fazer entretanto para ir melhorando? o que é esse tratamento em casa?

p.s: desculpem se estou a ser muito precipitada pq sei que muitas de voces sofrem deste problema hà muitos anos, mas estou cheia de medo :C

Daniela Barros disse...

Oi, Sofia!
Pode ser que vc apenas esteja tentando uma posição difícil para colocar o tampão, como vc tenta? Olha só, mesmo depois de curada, eu não consigo colocá-lo muito fácil, estando sentada ou coisa assim, pra mim é mais fácil colocar de pé com os dois pés no chão. Tente várias posições antes de achar que não entra mesmo e relaxe pq pode não ser nada, né? Não é bom ficar enchendo a cabeça com possibilidades ainda remotas (afinal vc nunca tentou transar). De qualquer forma, é importante ir a um médico, assim que vc tiver a oportunidade, vá e converse com ele, tire suas dúvidas... tenho certeza que vc vai ficar mais tranquila!
Bjs

DGS28 disse...

Olá.. Descobri que tenho vaginismo há 2 1 ano e meio. Na verdade no fundo sempre soube mas não aceitava. Desde a 1ª relação tenho dores. Sempre usei xilocaína para não sentir dor, mas prazer, nada. Fiquei usando xilocaína durante 2 ao e depois meu namorado pediu para parar com isso. Aí sim foi o tormento. Sempre que tinhamos intimidade sentia dor de estomago, cabeça, tontura, náuseas, medos medos e medos... Tremia e meu corpo todo contraia. Agora comecei um tratamento com uma pessoa especialista. Depois de sofrer tanto com ginecos rindo de mim e me achando "anormal". Mnha gineco agora é terapeuta tbm e vai me curar com meu esforço tbm. Ele disse que não sou doente, só tenho uma disfunção. Me deixou a vontade e vamos ver se dá certo. Até janeiro meu namorado de 7 anos e meio sempre aceitou e disse q casaria comigo mesmo assim, mesmo se eu não me curasse, mas sabe como são os homens, né ? Ele de uns meses pra cá desistiu de me aceitar e dise que iria pensar se realmente me aceitaria pois não aguenta me ver e não me penetrar pois gosta muito de mim. Sofro com isso pois ele disse que se não levar tudo isso ele não ficará noivo e vai terminar tudo. É difícil, mas disse a ele que se ele me amar de verdade vai aguentar tudo isso eu me curando ou não.É bom saber que mais pessoas tem essa disfunção, é bom não se sentir sozinha.

Bjus

DGS28 disse...

Olá.. Descobri que tenho vaginismo há 2 anos e meio. Na verdade no fundo sempre soube mas não aceitava. Desde a 1ª relação tenho dores. Sempre usei xilocaína para não sentir dor, mas prazer, nada. Fiquei usando xilocaína durante 2 ao e depois meu namorado pediu para parar com isso. Aí sim foi o tormento. Sempre que tinhamos intimidade sentia dor de estomago, cabeça, tontura, náuseas, medos medos e medos... Tremia e meu corpo todo contraia. Agora comecei um tratamento com uma pessoa especialista. Depois de sofrer tanto com ginecos rindo de mim e me achando "anormal". Mnha gineco agora é terapeuta tbm e vai me curar com meu esforço tbm. Ele disse que não sou doente, só tenho uma disfunção. Me deixou a vontade e vamos ver se dá certo. Até janeiro meu namorado de 7 anos e meio sempre aceitou e disse q casaria comigo mesmo assim, mesmo se eu não me curasse, mas sabe como são os homens, né ? Ele de uns meses pra cá desistiu de me aceitar e dise que iria pensar se realmente me aceitaria pois não aguenta me ver e não me penetrar pois gosta muito de mim. Sofro com isso pois ele disse que se não levar tudo isso ele não ficará noivo e vai terminar tudo. É difícil, mas disse a ele que se ele me amar de verdade vai aguentar tudo isso eu me curando ou não.É bom saber que mais pessoas tem essa disfunção, é bom não se sentir sozinha.

Bjus

Anônimo disse...

Espero ajudar!
Aqui vai meu depoimento: sempre tive vaginismo (não conseguia realizar exames ginecológicos, nem penetração alguma, seja do pênis, do dedo, nada). Com 28 anos descobri ajuda de uma especialista da área (uma fisioterapeuta), que me ajudou a mudar minha vida.
Fora o tratamento em si..quero passar algumas dicas que foram primordiais pra minha cura (sim, sinto-me curada):
1. Nosso amigo número 1 deve ser um bom lubrificante. Sempre carrego comigo agora. Coloco já em casa antes de ir aos médicos para fazer exames de rotina e ultrassom intravaginal. E sempre peço para os médicos capricharem no uso de lubrificantes. Isso ajuda MUITO. Quando vc tiver que introduzir medicamentos via vaginal, tb faça uso de lubrificantes, pois eles vão fazer com eles sejam "engolidos" rapidinho.
2 dica: minha real cura começou quando, a pedido da fisioterapeuta, comecei a me tocar em casa, e a introduzir o dedo, fazendo movimentos de abertura dos dedos (aumentando assim o nosso "espaço"). Sempre fiz isso com lubrificantes. Nas primeiras vezes sentia que estava fazendo "algo errado", não conseguia me permitir me tocar assim. Mas como era para minha cura, decidi tentar. Fiz disso uma rotina, sempre depois do banho, com lubrificante..durante uns 10 minutos. Vcs não fazem a idéia de como conhecer o próprio corpo ajuda na cura. Hoje sei o tamanho do meu canal vaginal, sei da profundidade, o que me tranquiliza, pois sei tudo o que pode caber direitinho ali. Vão por mim: tentem e não desistam...Comecem só colocando lubrificante, massageando externamente...ao longo do tempo, introduzam só um pouquinho do dedo, e cada vez mais....Vcs vão ver que dá certo! E NUNCA introduzam objetos! Isso só piora! Só vale o dedo...e depois o pênis do seu companheiro.
Conselho 3: Nunca estamos preparadas para o que a vida traz, então busque se tratar! Não espere a cura milagrosa, ela não existe. Exemplo: Fiz 3 meses de tratamento com a profissional da área, e todos os dias fazia exercícios com a vagina em casa (tb tem o exercicio de apertar e soltar por 10 vezes, deitada)...Sou casada e queria muito poder engravidar. Consegui ter a penetração completa, consegui ter prazer através da penetração, e por fim, consegui engravidar. Fiz ultrassom transvaginal, td certinho....sempre levando meu lubrificante, e fazendo exercícios de apertar e soltar a vagina antes de me submeter aos exames, o que ajuda muito. Depois, sofri um aborto e tive que me submeter a uma curetagem. Nunca na vida imaginei passar por isso. Mas já curada, não senti dor alguma ao ter que me submeter às enfermeiras me colocando remédios via vaginal para abrir o colo uterino. Através desse relato, só quero demonstrar que tudo pode ser mudado. Vaginismo tem cura, se vc quiser ser curada! Independente do seu passado, pense no seu futuro. Vc é responsável pela sua felicidade. Busque ajuda....Ou vá tentando conhecer o próprio corpo em casa, compre um lubrificante daqueles que esquenta, respire fundo, faça exercícios deitada com as pernas dobradas apertando e soltando a vagina por 10 vezes, e tente a penetração com seu companheiro por diversas vezes. Se não dá numa posição, tente de outra. Eu descobri que comigo a penetração sempre acontece assim: ele embaixo, eu em cima. Em todas as relações acontece o mesmo, logo que tentamos, o pênis não entra. Então eu coloco mais (bastante) lubrificante, tanto no pênis, quanto a vagina, e tentamos novamente (às vezes eu fico apertando e soltando um pouco a vagina antes de tentar a penetração, pois a musculatura fica mais solta). Na segunda vez sempre dá certo. Logo vc aprende o "jeitinho". Todo casal descobre sua fórmula secreta...basta tentar descobrir. Sexo é saúde. Invistam na saúde! Um beijo a todas e boa sorte!

Anônimo disse...

Oi meninas...

Alguem tem algum terapeuta, sexologo.. Alguem que possa me ajudar no tratamento do Vaginismo aqui em São Paulo..

Obrigada

Bjos

Anônimo disse...

ola meninas,olha sofri com esse vaginismo durante muitos anos,sou casada tbm,tenho um filho .
olha minha história é igual a de todas me casei e veio os problemas,msm tendo um marido maravilhoso.
eu naõ aceitava qu tinha problemas tbm,até q começaram as perguntas,vc naõ gosta de mim,meu marido se sentia rejeitado todos os momentos.
foi dificil eu ir procurar ajuda,mas esse dia chegou uffa,foi a melhor coisa que fiz na minha vida.
procurei uma psicoterapeuta,maravilhosa.
fiz um tratamento de 3 meses,estou totalmente curada.
fiz os exercicios,no começo cheguei chorar pq um dedinho pra qm tem vaginismo,nossa dói muito,pensei em até desistir do tratamento,mas fui vendo que passo a passo eu estava vencendo,ou melhor venci nossa estou muito feliz hj.
naõ desistaõ procurem uma medica ou médico e se tratem,hj me sinto uma mulher de verdade.


bjos amigas estou torcendo pra cada uma de vcs!!!

Anônimo disse...

oi,presiso muito de ajuda:bom minha historia è assim:sou casada a 4 anos num relacionamento que ja tem 8 anos,nunca consegui tranzar com meu marido,nao consigo deixar penetrar nada,nem se quer meu dedo eu consigo,sofro muito com isso,pois eu quero muito ter filhos eu e ele somos locos por cricnças.nunca desabafei com ninguem pois temos muita vergonha.nao fui procurar ajuda ainda pois trabalhamos no exterior, e viemos ao brasil para ficar sempre 3 meses por ano,e è sempre tudo muito corrido...mas vou ver se consigo.meu marido tabem è virgem como eu.mas sempre depois que tentamos o ato agente acaba ficando chateado e sempre se brigamos.as veses morro de medo caio no chorro so de pensar que nunca vamos poder ter filhos.me ajuda por favor.

Anônimo disse...

sou casada ha 1 ano e 5 meses me caseei virgem e ate hoje nao consigui nada ja quis largar meu marido varias vezes minha vida se transformou de bençao para um verdadeiro inferno, no dia q fiz 1 ano de casamento quis separar de vez eu estraguei meu primeiro aniversario de casamento, ele veio atras e voltamos nao sei o que fazer eu sofro de mais gostaria de desistir de tudo e viver minha vida so eu fico pensando se n tem alguma anomalia em mim eu queria tanto e nao consigo me sinto tao culpada eu estraguei minha vida meu casamento...

Anônimo disse...

Olá meninas do post do dia 13 e 17 de janeiro,

Eu também tenho vaginismo, sofri assim como vocês, mas o meu 1º grande passo foi procurar ajuda. Não sou casada, não sou noiva, mas namoro e já tinha todas essas angústias me pertubando há 03 anos. Fui a uma consulta com uma sexóloga e comecei a fazer o trataamente para o vaginismo.Que alívio, tirei metade do peso das minhas costas. Acredito e tenho TOTAL CERTEZA que a minha cura virá, assim como todas que faz algo prol a cura. Os exercícios para a musculatura vaginal associado a psicoterapia são de fundamentais importância, vocês não estão sozinhas...assim comos vcs milhares de mulheres sofrem de vaginismo ou de outra disfunção sexual. A minha hora de não aguentar mais essa situação de ter o vaginismo chegou e será que a de vocês também não?Há pessoas que se curam com 01,02, 03 meses e assim vai...mas não se comparem a ninguém...cada pessoa responde de uma forma e também cada um tem uma vida, uma dinâmica de casal e etc... acredito que o ponto de partida para a cura e livrar-se de vez dessa condição seja PROCURAR AJUDA.Conversem com os parceiros e se procurar ajuda levem eles a consultaa, assim entendem mais a dinâmica do vaginismo e isso ajuda para o processo da terapia e cura.
Espero ter ajudado.
Bju grande!!

BELLE*

Anônimo disse...

Olá meninas do post do dia 13 e 17 de janeiro,

Tive vaginismo. Casei e nunca consegui transar com meu marido, ficamos juntos 11 anos. Por causa do problema a gente separou.

Me sentia muito mal...culpada.
Ele nunca entendeu que não era frescura.

Depois da separação. Pensando em mim, não mais nele, eu procurei ajuda. E melhor: Eu tô curada.

Hoje, consigo transar e sentir prazer.
Fiz os exercícios que o sexólogo passou.
Tive muita disciplina. Estou escrevendo para dizer pra vocês não ficarem desesperadas e podem acreditar a cura é possível.

Quando a gente tá no problema não consegue perceber a luz no final do túnel.

Eu também achava que nunca ia conseguir. Mas, em 3 meses de exercício eu consegui. Não tinha parceiro pra tentar. Eu só tentei com um homem quando eu tive certeza que eu estava curada. Esta certeza veio quando eu consegui introduzir vibrador inteiro várias vezes sem sentir dor.

É muito estranho porque é um assunto que a gente não coragem de comentar com os amigos. Imagina dizer que rompi o hímem com um vibrador? Mas foi isso que aconteceu. E nem foi ruim rsrsrs.

Saiu uma espécie de peso das minhas costas.
Hoje, estou sozinha. Mas curada.

Façam os exercícios. Não desanimem. As vezes a gente acha que não vai conseguir. Mas é só na cabeça da gente. No meu caso eu não deixava o meu marido nem encostar na minha vagina. Não culpo ele pela separação. Eu o entendo.

Se de repente o seu marido não entende, como era o caso do meu, vai fazendo os exercícios sozinha.

Um abraço e persistam.

Céu

Anônimo disse...

Olá Céu,

Nunca ouvi uma história assim...casou,separou e curou. Foi muita força de vontade e fez muito bem. Realmente a disciplina é a chave da cura, a persistência e acreditar que é possível vencer o vaginismo.
Que bom!! Gostei da sua história, vitoriosa você. Não deve ter sido nada fácil sua situação quando vivia com o vaginismo, separando, nossa...meu caso é bem o contrário, não sou casada, mas meu namorado e há poucos dias noivo, sempre foi e é muito paciente comigo, sempre me coloca p cima e me incentiva nessa caminhada. Graças a Deus, menos um peso p eu carregar.
Bju,
SUCESSO P TI!!!

BELLE*

Anônimo disse...

Olá Belle,

Não foi fácil... me sentia menos mulher. Logo que separamos meu marido arrumou uma namorada, e pior ela engravidou. Me senti um lixo...fiquei com depressão...mas eu disse eu vou dar a volta por cima. Ainda continuo un pouco depressiva, mas do vaginismo curadíssima. Detalhe: a primeira vez eu fiz questão de ser com o meu ex-marido. Amiga, ele ficou tão surpreso que não deu conta do recado kkkkk (brochou) eu ri que me acabei. Mas depois deu tudo certo. A cura representa muito pra mim...hoje, meu marido percebe que eu tinha uma doença, mas ele me machucou muito pedindo a separação. Sempre eu posot pra mostrar para as mulheres que cada uma tem as suas dificuldades, mas que elas serão sempre...sempre...superáveis, e eu sou a prova. Abandonada pelo marido por causa do vaginismo, doente com a depressão que me fez perder 17 Kg (pelo menos fiquei magrinha kkk ), arrumei força sabe Deus da onde pra buscar tratamento e consegui. Me sinto feliz em compartilhar a minha cura com vocês. Não desanimem e persistam. Quando menos esperar vocês já conseguiram.

Tô torcendo por você

Abraço
céu

Anônimo disse...

Nossa Céu bem difícil foi essa sua caminhada...Há males que vem p bem. E depois que vc curou ele não quis voltar não??? Agora magrinha e sem vaginismo...rsrsrs E qdo vcs terminaram as pessoas queriam saber o motivo? O que vc respondia? E ele comentava com alguém o motivo? Passado quanto tempo de término vc conseguiu a cura??? Vou aqui na minha jornada... eu tenho certeza que vou me curar, mas sinto que ainda preciso caminhar bastante p chegar lá...os exercícios me ajuda demais, acredito que todas que passam por essa saga de ter vaginismo. Sinto-me menos mulher pouquíssimas vezes, após iniciar a terapia com a sexóloga eu mudei muito esse meu pensamento e o meu noivo me bota sempre tão p cima que parece que nem tenho vaginismo. Mas eu sempreeeeeee que vejo um casal, viajo, saio, tudo, sempre penso que não posso fazer da mesma maneira, mas faço do meu jeito, como posso e dar certo...kkkkkkkkk eu já cansei de me lamentar pelo vaginismo, já que tenho...vou curar isso logo e entrar p o grupo das mulheres ATIVAS!rs
Bju Céu,
Obrigada pela sua história, uma superação e tanta!

BELLE*

Anônimo disse...

Olá Belle!

Aqui neste blog é o único lugar que eu comento sobre o assunto. Meu ex-marido foi sempre maravilhoso comigo, só que chegou uma hora que ele cansou. Pelo fato de não acreditar que não era frescura. O que me impressiona é que ele é super inteligente, e nunca ouviu falar em vaginismo. E pior, não aceitava a ideia de eu terapia para transar com ele. Dizia que era o fim do mundo. Ãcho que o tempo vai dizer se há chance da gente voltar. Apesar dele ter arrumado outra mulher e ter tido um filho eu ainda o amo muito. Qunado agente separou dizíamos que o motivo era o desgaste natural da relação. Ele sempre foi discreto, nunca comentou com ninguém. Quando perguntavam pra mim o motivo da separação, eu não respondia, eu só chorava kkkkk. Sentia-me o lixo.
Depois da separação eu passei um ano e meio com muita depressão, muito doente. Aqui onde moro não tem sexólogo, psicológo não resolveu, já havia feito anteriormente, então resolvi, depois de um ano e meio separada, fazer o tratamento pela net, com o sexólogo. Fiz os exercícios sozinha (claro com ajuda de alguma ferramentas kkkk. Cinco meses depois de está fazendo os exercícios eu tive coragem e oportunidade de transar de verdade. Não contei conversa. Tive medo de fracassar e sabia que eu estava indo para o tudo ou nada com meu ex-marido. Mas deu tudo certo, quase, se ele não tivesse brochado kkkkk. Foi de primeira.
Quando eu tava casada eu fazia de tudo para a relação não esfriar, fantasias, sexo anal, o que vc imaginar. Tudo era fácil do que transar "usando a vagina" kkkk. Hoje, meu ex-marido está morando com a mãe da criança. Eu anida sofro muito. A gente nunca falou em voltar. Mas depois que eu transei com ele, as visitas dele na minha casa aumentaram kkkk.

Continua com os exercícios. Não sei se vc usa vibradores. Mas, eles ajudam bastante, pq a sensação é muito parecida com a do pênis penetrando. Depois dos dedos, velas, eu comecei com uns plugs anais, de silicone, finos na ponta e um pouquinho, só um pouquinho mais grossos no resto. Eles foram essenciais pra mim. No início as pernas tremiam, com o passar do tempo foi diminuindo o tremor, até não tremer mais.

Tô torcendo por você... as vezes parece que caminhada é longa...mas já...já chega o fim.
Persista que a cura logo...logo vem.

Eu sou a prova viva de que a cura vem.

Um abraço

Céu

Anônimo disse...

Céu,

Obrigada!! Suas palavras me incentivam bastante. Curioso que foi pela net que vc iniciou sua terapia. Só uma idéia, porque você não faz terapia para superar essa " perda" do seu ex-marido??? Talvez te fizesse bem, a minha terapia me ajuda muito, pois aborda não somente o vaginismo. Acaba que mostrou abertamente p mim muitas fraquezas minhas que sempre ficaram na penumbra devido a minha personalidade " fortona, nada me abala" e do meu noivo também. Após a minha cura pretendo dar continuidade, pois tem me ajudado...uma válvula de escape.
Sim, quanto aos vibradores, ela nunca quis me passar, disse que só se eu não conseguir de maneira alguma...pois ela quer que eu e meu noivo tenham esse contato de cura adquirido lado a lado e assim eu vou seguindo.
Obrigada pelas suas palavras.

BELLE*

Drica disse...

Eu me casei virgem aos 29 anos com um cara 9 anos mais novo porém ja experiente no sexo. Na nossa "lua de mel" nada aconteceu. Me assustei um pouco com o tamanho do pênis e coloquei na cabeça q não ia entrar. Tentamos varias vezes e nada. Sofria sozinha e calada pois não confiava em ninguém e tinha também muita vergonha. Um dia ouvindo um programa de radio eu ouvi a palavra vaginismo pela 1a. Vez e logo me identifiquei e comecei sozinha uma busca por tratamento. Mas as terapias eram caras e o tempo foi passando. Após 4 anos meu marido decidiu me abandonar, estava envolvido com outras mulheres pois não suportava mais viver sem sexo. Eu larguei o emprego e fui atrás de ajuda. Uma médica me encaminhou para o Ambulatorio Perola Baiton, onde encontrei profissionais excelentes. Mas meu marido ainda não tinha saido de casa. Foi então que no meio do tratamento, gratuito meninas, eu engravidei mesmo não tendo uma penetração total. O cara foi embora mesmo assim. Na mesma época encontrei pessoas de Deus em uma igreja que pude confiar e oraram muito por mim. Tive uma gravidez ótima e minha filha nasceu de parto normal. 4 anos depois do nascimento da minha filha um colega começou a se interessar por mim e eu resolvi dar uma chance. Ficamos juntos algumas vezes antes de transar. Eu decidi que queria muito tentar com ele pois o tesão era enorme. Na primeira tentativa já rolou a penetrção total sem dor nenhuma foi maravilhoso. Transamos varias vezes. Depois de mutio sofrimento, tristeza e humilhação EU CONSEGUI e todas vcs também podem.

Anônimo disse...

Boa tarde
Amei esse blog e tem me ajudado, porque sou casada a 4 anos e ainda não consegui ter relaçaõ com meu esposo.Somos um pouco timidos, principalmente eu. Não faço idéia do que fazer mais pois tentei alguns exercícios e até passei duas vezes com uma terapeuta e até agora nada.Estou lendo este post que me ajudarama entrar novamente nesta luta contra esse mal chamado vaginismo. Que Deus nos ajude.

Anônimo disse...

Oi meu nome é Cláudia, namorei por nove anos e nunca conseguimos ter relação sexual, e ano passado casamos e continuamos não tendo relações sexuais. Estamos completando 3 meses de casado e está sendo muito dificil, estamos brigando muito. Foi bom ler os comentarios do blog, pois tudo que todas escrevem que sentem é uma mistura do meu sentimento. Por isso preciso de ajuda, não sei por onde começar, quem procurar. Abraço e obrigado.

Anônimo disse...

Olá,

O primeiro passo em busca da cura do vaginismo, acredito que seja procurar ajuda.Basta o 1º passo, conheço algumas mulheres que com 1,3,4 meses conseguiram a cura.A regra não é para todos, pois pode demorar o SEU TEMPO, mas tenha a certeza, a CURA VIRÁ.Acredite! Ela possível, graças!
Beijos,

BELLE*

Anônimo disse...

Cláudia,

Sei o que vc passa, pois fui casada e tinha vaginismo.
Primeiro passo é procurar ajuda profissional. No meu caso os profissionais não deram jeito. Mas eu me curei fazendo exercícios de desensibilização da vagina, usando dedo, vela, vibradores, cotonete... indico procurar um profissional porque não sei a origem do seu problema...mas sei dúvida terá que fazer os exercícios... a cura é´posssível.... ela não ocorre de repente... mas em cada dia que vc faz o exercício...

Não desista...dificilmente os homens entendem...
Eu fiz os exercícios em casa e me curei.

Faça também.

Um abraço....estou torcendo por vc bj

Anônimo disse...

Iniciei meu tratamento há duas semanas. Amanhã é a minha terceira sessão!! Já me sinto mais confiante.

Anônimo disse...

Esta semana foi constatado o meu vaginismo, as vezes um medo acaba que por me assolar e esses blogs que retratam o problema me animam, agora é só marcar a terapia e iniciar o tratamento, vou com fé...

Anônimo disse...

Olá pessoas,

Concluí ontem que sofro de vaginismo e hoje tomei conhecimento deste blog corajoso e útil. Parabéns à autora.
Doeu descobrir, mas ao menos é algo que tem nome e cura, basta acreditar e se dedicar a ela. Gostaria de saber se alguém pode me indicar profissionais competentes na área, no Rio de Janeiro, para que eu possa iniciar o tratamento o quanto antes.
Obrigada e força a todas!

Anônimo disse...

Olá amiga do post acima,

fiz o tratamento com este dr. Charles Rojtenberg (charleswb@hotmail.com)

/Estou curada espero ter ajudado

Indiara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

oi, tenho 26 anos e estou casada a 6 meses, nunca consegui ter relação sexual, sinto muito incomodo e tensão, preciso que me indiquem um profissional que não seja caro no rj.

Anônimo disse...

Que bom que vc começou esse blog, Daniela!!
Parabéns pela coragem, altruísmo e empatia!
Parabéns pela cura!
Seu blog tá me ajudando muito!
Já comentei em algum post, me chamo Nátali, recém-casada. A roupa tá toda pra passar, nem vou fazer almoço pra mim, pq não consigo parar de ler seu blog e todos comentários (sigo diversos blogs sobre outras coisas e nunca consegui ler todos comentários de um post sequer!)!!
Quero tanto, mas tanto vencer essa chatice logo, e viver plenamente feliz com meu marido, que amo tanto!!
Obrigada mais uma vez!
Com certeza sou sua seguidora e vou estar sempre aqui opinando e logo logo anunciarei minha cura!
Deus foi muito providente, e o primeiro gineco que fui na minha vida já me diagnosticou direito. Eu e meu marido temos pesquisado bastante e tentado bastante. Casei virgem, mas mesmo tendo descoberto o que tenho há menos de um mês, já chorei mais do que num ano todo, já passamos por muuuuitas situações, já pensei de tudo, como tantas outras relataram aqui... mas tbm, graças a Deus, já tivemos algumas melhoras!
Ainda quero te contar minha história, e quando estiver curada, quero entrar naquela contagem do blog, hehe!! ^^
Ontem mesmo já conseguimos penetrar metade do pênis!! Foi uma vitória, e choramos juntos, e quase choro de novo de pensar, mas não vamos nos acomodar, queremos maaaaais, hihihi!!
Deus te abençoe!
até mais
Nátali

Flavia disse...

Meninas, alguém tem indicação de profissionais com experiência em vaginismo: ginecologista, uroterapeuta, psicólogo em BRASÍLIA????

Obrigada!

NATALIA disse...

OI MENINAS TENHO 24 ANOS E DESDE QUE COMECEI TER RELAÇOES QUE SINTO ESSAS CONTRAÇOES,PRA CONSEGUIR SER PENETRADA ERA UM SACRIFICIO MUITO DOLOROSO,mas hoje estou com um homem maravilhoso e que é muito paciente e diz que isso é uma dadiva no meio de tantas frouxas ai,ele me encontrou e eu passei aceitar o vaginismo como um aliado e nao como um enimigo. OLHA VAGINISMO NÃO É E NUNCA FOI UMA DOENÇA!AS OUTRAS QUE TEM INVEJA DE NÓS BJJJJ

michael borba disse...

qual o nome da tua medica

michael borba disse...

qual o nome da tua medica e onde ela trabalha

Anônimo disse...

Olá !

Aonde posso comprar o kit de dilatadores ? só achei sites americanos que vendam os kits .. e são caros!
Eu consigo introduzir um ob sem maiores problemas.. caso eu nao consiga comprar o kit o que vc me recomendaria ? Qdo vc acha que eh a hora de tentar a penetraçao propriamente dita ?
Muuuuuito Obrigada =]

Daniela Barros disse...

Olá, DSG!
Acho que seu namorado só está um pouco desesperado com a questão. Pensa bem: não deve ser fácil pra ele tb... se nem nós mesmas conseguimos entender o que está acontecendo, imagina eles que nem vagina não tem? Realmente deve ser difícil. Mas vc deve pensar positivo, vc pode sim se curar, agora que vc achou um profissional pra te ajudar, as coisas ficaram mais fáceis. Insista na luta e sempre que fraquejar, venha até aqui e leia um dos depoimentos de tantas de nós que já conseguiram superar esse problema... Bjs

Obrigada às anônimas que compartilharam suas histórias aqui nos comentários. Vou postá-las para que o pessoal leia com mais facilidade, ok? Parabéns pela vitória! Bjs

Para anônima que perguntou sobre terapeuta em SP: já ouviu falar do Projeto Afrodite? Pode ser um bom caminho, vê aqui: http://vaginismotemfim.blogspot.com.br/2010/09/projeto-afrodite.html. Bjs

Anônima de 13/01/12 – 19h22: me mande um email, vamos conversar.

Anônima de 17/01/12: não desista da sua cura. Eu tb pensei como vc diversas vezes, quis largar meu marido, deixar ele ser feliz com outra, mas ao invés disso, resolvi buscar a cura e foi a melhor coisa que eu fiz, hj meu casamento é maravilhoso, graças a Deus! Procure ajuda de um especialista ou envie um email para que a gente possa conversar.

Oi, Belle!
Obrigada por responder às meninas e não deixa-las tão abandonadas quanto eu tenho deixado. É muito bom ter vc por aqui! Grande beijo!

Céu,
Adorei sua história. Se puder escreva pra mim: danita.barros@gmail.com. Gostaria de mais detalhes para publicá-la como um post. É importante as pessoas saberem que não é pq o casamento acabou que tem q acabar a vontade de se curar. E ainda mais com essa “revanche” no desfecho, tendo a primeira relação com seu ex-marido! Kkk E é como a Belle disse, eu tb nunca tinha visto uma história assim. Parabéns pela vitória! Bjs

Oi, Drica!
Obrigada por compartilhar sua história com a gente! E parabéns, viu? Mesmo depois de toda a decepção com o marido, conseguiu superar o problema ”sozinha”. Se puder, me envie um e-mail (danita.barros@gmail.com) gostaria de ter mais detalhes do seu tratamento e cura para poder postar sua história como incentivo para as pessoas que lêem o blog! Bjs

Oi, anônima de 19/02/12. Vamos conversar? Me escreva: danita.barros@gmail.com. Bjs

Oi, Cláudia! Não desiste não. Isso tem cura sim e seu casamento, tenho certeza, merece todo esforço. Se quiser, me mande um email. Bjs

Anônimas que acabaram de descobrir o problema: descobrir o que temos é muito bom, né? Eu adorei saber quem era esse meu “inimigo” pra poder pensar em como vencê-lo. Sigam as orientações dos especialistas e persistam no tratamento! Ah! E depois passem aqui para contar a vitória, hein? Tenho certeza que logo ela virá! Bjs

Oi, anônima de 13/05. Não conheço nenhum profissional do RJ... mas posso ver aqui se as meninas que se correspondem comigo conhecem... se puder, me mande sua solicitação por email! Bjs

Oi, Nátali!
Menina! Sua casa vai ficar bagunçada por culpa minha! Pode não! Hahaha
Se na época que vc escreveu esse comentário já tava conseguindo penetrar a metade, agora já resolveu, né? Cadê que vc me contou? rs Me manda sua história por email se já estiver curada! E se não estiver ainda, força, que a conquista tá perto! Bjs

Flávia! Não conheço ngm de Brasília pra te ajudar. Mas tenta o google mesmo, meu psico eu achei pelo google e deu certo o tratamento... Boa sorte! Bjs

Michael! Vc tá perguntando da minha médica? Ou de alguma menina que comentou? Se é da minha, c quer saber da gineco ou do terapeuta? Entendi nada... me manda email...

Oi, anônima de 09/09/12. O meu kit é comprado num site nos EUA mesmo, veja orientações aqui: http://vaginismotemfim.blogspot.com.br/2010/06/como-faco-para-adquirir-os-dilatadores.html. Se não tiver como adquirir os kits, acho que uma boa é montar seu próprio, num sexy shop mesmo, com pelo menos uns 3 tamanhos. Um bem mais fino (mais grosso que um dedo, mas ainda fino), um médio e um maior quase do tamanho do do marido/namorado. Acho que assim é legal de ir tentando... Bjs

Camila Maressa disse...

Ola, sou camila tenho 18 anos e sou solteira. descobri esse problema a algum tempo depois de relatar ao meu medico dores durante a relacao, ele me pdiu que pesquisasse na internet e so. mas e agora oq faco? e normal qe nao haja desejo?, me ajude por favor...

Anônimo disse...

Olá, gente, boa noite.
Achei interessante o blog de vocês. Parei um pouco para ler. Eu sou homem, tenho 26 anos, e minha namorada e eu desconfiamos da possibilidade de ela ter vaginismo. Temos 1 ano e sete meses de namoro, e tivemos nossa primeira relação sexual há pouco mais de dois meses. Ela teve muito incômodo e mesmo que eu tenha dito para deixarmos a penetração e aproveitarmos o momento juntos (apesar de ter sido minha primeira vez, nunca fui a favor sequer de pensar na possibilidade de manter uma relação sexual com minha parceira sentindo dores), ela quis tentar e tentar, até conseguirmos. Dias depois ela me disse que, mesmo tentando e indo devagar, sentiu dores. Fiquei triste por saber, e combinamos que somente teríamos relação quando ela fosse a um ginecologista, e fizesse alguns exames. Há poucos dias ela finalmente conseguiu uma marcação, e saiu bastante incomodada, pelo fato de a ginecologista não ter conseguido fazer o exame preventivo no colo do útero. Minha namorada disse que doeu muito, e a ginecologista disse que poderia ser algo psicológico. Para continuarmos mantendo relações e, caso persistissem as dores, para procurarmos um sexólogo. Eu quis tentar ajudar de alguma forma, e procurei na internet o que poderia causar tanto incômodo. Ela se sentiu para baixo, me pediu desculpas por várias vezes, por sentir que não é capaz de me dar prazer de forma completa. Por todas as vezes em que me pediu desculpas, eu repetia que a amo imensamente, com tudo o que sou, e que não é isto que vai me fazer deixar de amá-la. Que vamos procurar saber o que é, e vamos superar juntos. Eu também me sinto parte disso tudo. Sei que, como parceiro, companheiro, namorado, também tenho minha parcela de responsabilidade, ao querê-la por perto e desejar o melhor para ela em todos os sentidos. Quero que nossa vida afetiva e sexual seja sempre mantida pela cumplicidade e partilha de tudo.
Pesquisei na internet e descobri sobre o vaginismo. Imaginamos ser isso. Comentei com ela, tentando novamente acalmá-la. Sei que estou ao lado dela para o que for, em todos os momentos. Sou homem, sim, e tenho desejos, como ela tem, e vocês também tem. Mas imagino que o desejo sempre venha acompanhado de amor e companheirismo. Espero que todos nós consigamos superar essa barreira. Confiança é necessária. Paciência também. Cuidado e colo são imprescindíveis. Parabéns a vocês pela iniciativa. Espero encontrar aqui mais detalhes, e saber como posso estar mais próximo de minha namorada, a partir da experiência de vocês. Um abraço a todas. Tudo de bom.

Anônimo disse...

Olá,

Meu nome é Artur, terminei semanas atrás um longo relacionamento com minha parceira que sofre desse problema. Gostaria de fazer um relato que talvez possa contribuir com algo para vocês que sofrem com isso também.
Primeiramente, uma descrição do relacionamento: fui o primeiro namorado dela (apesar dela já ter mais de 20 anos quando começamos) e desde o começo ela sempre foi uma pessoa com muitas dificuldades de intimidade no geral, com baixa auto-estima e insegurança (apesar de não ter absolutamente nenhum problema físico com a aparência, muito pelo contrário, todos a acham bonita). Eu já havia namorado anteriormente e não era mais virgem. Desde o começo ela já me apontava restrições quanto a sexo, e eu sabia que iria demorar para iniciarmos a nossa vida sexual mas respeitei o tempo dela e tentei passar bastante segurança que eu estava com ela para ter um relacionamento mais sério.
Pois bem, nesse período inicial estávamos bastante apaixonados e apesar dela conseguir se soltar mais comigo, ainda assim não permitia que avançássemos um pouco mais. Vários meses se passaram e a falta de intimidade começou a afetar a nossa vida a dois, depois de muitos meses começamos apenas com sexo oral e assim permaneceu. Ela parecia não sentir falta de sexo e eu já me sentia um tanto frustrado de ver que ela não se interessava sobre o assunto. Toda vez que cobrava sobre o assunto, ela dizia que gostaria que a primeira vez fosse muito especial, em um ambiente romântico e etc., porém ela sempre evitava que esse momento acontecesse, chegamos a viajar a dois algumas vezes e quando a coisa começava a "esquentar" ela parava e dizia que não era o momento.
Com o namoro esfriando pouco a pouco, comecei a ficar impaciente e irritado com a situação. Com quase dois anos de namoro, a convenci de viajarmos e naquela viagem seria finalmente a nossa primeira vez. Foi então que lá os problemas reais começaram. A penetração não ocorreu e ela se contraía completamente antes mesmo da aproximação do pênis, dificultando bastante qualquer tentativa. Parecia que estava tendo um ataque de pânico, faltava o ar e era como se estivesse sendo torturada. Eu não fazia a mínima idéia do que estava acontecendo. A viagem foi um fracasso e ela desanimou completamente da idéia de tentar novamente, dizía que a dor era muito forte. Por insistência minha, tentávamos quando conseguíamos ficar sozinhos em algum lugar ou nas raras vezes em que eu a convencia de ir a um motel, mas ela foi se retraindo cada vez mais. Chegou a ir em psicólogos com sessões semanais mas o problema continuou sem nenhuma melhora.
O namoro começou a desmoronar. Brigávamos o tempo todo, eu já não tinha mais paciência pois ela nunca tomava a iniciativa de procurar resolver o problema e não ia atrás de qualquer tratamento. Era como se ela tentasse excluir o sexo da vida dela a qualquer custo, e eu me sentia um fracasso como namorado. Descobri no começo do ano passado que o problema chamava-se vaginismo e conversei várias vezes com ela para que procurasse ajuda especializada, além de vários exercícios que ela poderia fazer sozinha ou com meu auxílio, mas ela dizia que não conseguia fazer sozinha pois não ficava a vontade e que tinha muita vergonha de ir atrás de tratamento.

Anônimo disse...

Depois de mais insistência da minha parte ela chegou a ir em uma especialista que confirmou o problema dela, mas não foi mais, sempre com algum tipo de desculpa (falta de tempo, problemas no trabalho e etc.)
Comecei a desanimar completamente. Não tinha mais vontade de ficar sozinho com ela, pois ela se transformava em outra pessoa só com a idéia de tentar a penetração. Ela travava completamente, ficava apenas imóvel cobrindo o corpo enquanto eu tentava despí-la e deixá-la mais a vontade. Em todas, exatamente todas as vezes, a iniciativa de tentar tinha que partir de mim, senão ela apenas ficava imóvel com cara de assustada. Dizia ela que não tinha nenhum trauma relacionado a sexo, mas que sempre o via como algo negativo desde criança (pai e mãe que não agiam como casal, problemas relacionados a gravidez precoce de parentes).
Enfim chegamos então ao momento onde não havia mais condições de continuar, após 4 anos e alguns meses de namoro.
Vi muitos casos parecidos nesse blog, porém vejo também que a maioria das mulheres tem uma certa dificuldade de entender o parceiro, então gostaria de ressaltar:
1 - Nós nos preocupamos com vocês e queremos ajudá-las, mas a iniciativa tem que partir de vocês. Vejo que muitas se entregam ao problema e evitam envolver o parceiro, buscando uma solução sozinhas. Não ignorem a ajuda do parceiro; ele merece saber o que está acontecendo e merece que vocês tentem com todas as forças possíveis resolver o problema. Eu entendo perfeitamente a vergonha de procurar um tratamento, mas a internet possui bastante material sobre o assunto e o mínimo que vocês podem fazer são os exercícios individuais para dessensibilização.
2 - Não teste a paciência do parceiro. Percebi muitas vezes que toda vez que eu a cobrava sobre o assunto, ela também me cobrava coisas do tipo "preciso que você seja mais carinhoso", "preciso ter mais segurança". Nós também precisamos que vocês demonstrem interesse e se dediquem a resolver o problema, e que não nos façam esperar sem qualquer expectativa de melhora. Vocês se sentem frustradas por terem o problema, mas nós também nos sentimos quando vocês não procuram nossa ajuda.
3 - O sexo é importante para qualquer relacionamento, mas não consideramos que seja o principal. Se ficamos por tanto tempo com vocês, significa que gostamos de vocês como pessoas e não como objetos de prazer, mas que precisamos ter a intimidade sexual para que o relacionamento se aprofunde e evolua.
4 - Ela hipervalorizava a virgindade e vi em alguns relatos aqui o mesmo problema. Não cometam esse erro. Tudo na vida tem sua hora e seu momento, mas vocês podem acabar deixando esse momento passar por achar que é muito cedo ou por tentar controlar demais a própria vida e perder um parceiro que goste realmente de quem você é. O erro maior que eu percebo é que muitas acabam deixando passar a melhor fase do namoro, que são os primeiros meses onde ambos estão apaixonados e os problemas ainda são pequenos, e esperam o relacionamento piorar pra tentar iniciar a vida sexual.
5 - Não fique se lamentando o tempo todo. Precisamos ver que vocês estão realmente empenhadas em resolver o problema, e não que estão entregues a ele. Não ajuda em nada chegar para o parceiro e falar das dificuldades, mas sem demonstrar otimismo em resolvê-lo. Pelo menos no meu caso o maior motivo de desgaste foi a sensação de que eu era o único que realmente queria resolver isso, e toda vez que eu conversava com ela sobre o assunto eu ouvia apenas frases pessimistas. Cheguei a escutar mais de uma vez ela dizer que achava que nunca iria conseguir.

Anônimo disse...

[continuação do post anterior]
6 - Se identificar o problema, tente ir atrás de resolvê-lo o quanto antes. Tenho certeza que todas aqui sabem o quanto o tempo corrói a relação e os problemas aumentam quando a mulher evita encarar essa realidade. Por mais difícil que seja, é uma doença como qualquer outra que se for tratada corretamente pode ser curada e quanto mais cedo, melhor.
Desculpem pelo tamanho do texto, mas eu espero que esse depoimento possa ser de alguma utilidade para alguém, para que possa ajudar algum relacionamento a não sofrer dos problemas que eu sofri no meu. Ainda gosto bastante da minha ex-namorada e pensei várias vezes de voltar com ela, mas sei que do jeito que estávamos íamos acabar terminando de novo em breve.
Sucesso a todas.

Anônimo disse...

Olá

Me chamo Wendel, sou casado a quase dois anos e desconfio que minha esposa possa está sofrendo de dispareunia, pois, de uns quatro ou cinco meses até agora, ela vem sentindo muita dor nas relações. O que me intriga é que no começo do nosso namoro e no primeiro ano de casados nossa vida sexual era bastante ativa. Me identifico com o Artur quando ele diz que parece que somente nós, os parceiros, é que queremos resolver a situação. Para piorar tudo, ela simplesmente odeia ir ao médico. Cara, esse problema realmente consome o relacionamento, eu sinto que já estou quase no meu limite, já pensei em sair por aí e achar na rua o que não encontro em casa, mas, amo muito minha esposa para fazer tal coisa. Não desejo isso pra casal nenhum.

Um abraço a todos!

Anônimo disse...

Onde tratar o vaginismo no Rio de Janeiro? Não tenho condições financeiras para isso e Já tentei resolver o problema com o meu parceiro e tá muito difícil. Me ajudem

Anônimo disse...

Tentem com um kra de Pênis pequeno e fino !

Flor disse...

Isso é a pior coisa que existe!!!Nao aguento mais,tem me matado a cada dia só decepções, tratamentos em vão,mas estou lutando e lembrem-se façam isso por vcs e não pelos parceiros..

Suzamara Araujo disse...

preciso muito de ajuda, tenho 25 anos e sou casada a 3 anos e ainda nao tive relaçao com meu marido, fui diagnosticada com vaginismo e nao sei mais o que fazer

Anônimo disse...

Qual o tamanho dos tubos? Do menor para o maior? Li sobre o uso em casa, como um dilatador. Mas onde comprar isso no Rio deJaneiro?

Opp Tops disse...

Esse problema é um saco, tenho uma namorada e ela tem isso, pqp faz o sexo parecer algo ruim, chato, monotono e sem sal, mas eu ja fiz antes dela, e sei que é bom e o quanto é bom, mas isso me esgota de mais, é ruim, cansativo. sei o quanto deve ser dificil pra mulher, mas muitas não gostam de médico não procuram ajuda, deixa pra resolver depois, é uma merda.

Marylene Siebra disse...

Olá Maria Angélica, boa noite!
Vc quis dizer dissertação de mestrado não ? Pq Tese é para o doutorado.
Mas onde vc está fazendo o mestrado? Tenho interesse na área.

Marylene Siebra disse...

Vaginismo tem cura sim!
Procure na sua cidade um profissional habilitado nessa área e comece logo o seu tratamento.
Em Fortaleza meu contato:
Dra.Marylene Siebra
Ft. Sexóloga
www.Marylenesiebra.blogspot.com.br
marylenesiebra@gmai.com
(85)41413008
(85)996582760 whatsapp

Marylene Siebra disse...

Corrigindo

www.marylenesiebra.blogspot.com.br

Anônimo disse...

Ah cara...estou na mesma situação do anônimo ali de cima...2 anos e meio com minha namorada...e ela fica sempre inventando desculpas...nem se quer topa ler as coisas que eu mando...não sei mais por quanto tempo vou aguentar. Só queria que ela buscasse ajuda...estou sendo compreensivo a tanto tempo..e ela parece não estar nem ai.

Postar um comentário

Que bom que vc decidiu compartilhar sua luta comigo! Vamos vencer, tenho certeza!
Agora eu aprendi, então, depois de comentar, pode voltar aqui que vai ter uma respostinha minha, tá?
Bjs