sábado, 12 de junho de 2010

Você acha que posso curar meu vaginismo sem terapia?

Polêmico esse assunto! E perigoso tb!
.
Bom, vou dizer o que eu sempre digo a todas e o que eu sinceramente acredito. Acho que o meio de cura do vaginismo depende de cada mulher. Acho que sim, a mulher pode curar seu vaginismo sem terapia dependendo de como é o seu vaginismo e de como é a mulher.
.
Há pessoas que têm como causa de seu vaginismo uma questão psicológica muito forte e, muitas vezes, a mulher não tem nem idéia do que a motiva a ter essa reação de se fechar para o sexo. Nesses casos, eu acredito que a terapia (com psicólogo, sexólogo, psiquiatra, aí vai do gosto do freguês) é a única solução. Pq não adianta vc querer consertar uma coisa com um artifício físico (o exercício) sendo que o problema é psicológico.
.
Aí vc pensa: "oras, mas é sempre psicológico, num é?" e eu digo: sim, vc tem razão, o vaginismo é sempre psicológico, mas pode ser que a causa seja apenas uma experiência que vc teve mal sucedida, uma lembrança que vc tem de uma amiga que disse que doía demais, uma infecção que vc teve e fez doer... Nesses casos, a única coisa que precisa ser feita é recuperar a confiança na própria capacidade sexual e isso pode ser facilmente obtido com o uso dos dilatadores. Vc tenta o primeiro, consegue, se convence de que é capaz, aí vai pro próximo, pro próximo e pro próximo, até entender que sua vagina realmente pode receber um pênis com segurança, aí pronto! E pra fazer isso não precisa de terapeuta... ou precisa? Aí vem o outro depende...
.
Eu disse que dependia da raiz do problema e tb do tipo de mulher que vc é. O que eu quis dizer é que vc pode ser o tipo de mulher que se abala muito com os fracassos e que quando cai é difícil de levantar-se e nesse caso o apoio do terapeuta é fundamental. Veja bem, são muito raros os casos de mulheres que compram os dilatadores e conseguem inserir todos, gradativamente, sem nenhum retrocesso. Qualquer coisinha que acontece na sua vida pode te causar um retrocesso. Um problema na família, nos estudos, no trabalho pode deixar sua cabeça tão cheia que de uma hora pra outra, vc, que já estava no dilatador 4, agora não consegue nem colocar o dedo. Isso é muito comum e se vc não tem muita estabilidade emocional para lidar com isso, um terapeuta pode suprir essa sua carência.
.
Um último fator que eu tenho que destacar e que é tb muito importante é a disciplina. Vc é o tipo de mulher disciplinada? Vc é o tipo de mulher determinada? Se for, vai se dar muito bem com os exercícios por conta própria, se não for, a coisa pode complicar. Com o terapeuta, vc tem a obrigação de fazer o exercício, simplesmente pelo fato que se vc não fizer vc vai voltar lá na semana seguinte e não vai ter nada pra contar, não vai evoluir e consequentemente vai jogar seu dinheiro fora (e no caso de terapia especializada, sabemos que não é pouco dinheiro!) Sozinha, vc vai encontrar mil desculpas pra não fazer o exercício:
  • hoje não dá pq estou menstruada
  • hoje não dá pq tá muito frio
  • hoje não dá pq não consegui ficar sozinha, meu marido chegou muito cedo
  • hoje não dá pq tô com cólica
  • hoje não dá pq tô com dor de cabeça
  • hoje não dá pq amanhã tenho prova
  • hoje não dá pq eu briguei com o meu namorado e aquele fdp não merece meu esforço (rs)

.

Vê como há mil desculpas? É verdade que pra todas elas existe uma solução (eu, por exemplo, que sou do tipo determinada, fazia o exercício em todas as circunstâncias acima descritas e se vc quiser posso te justificar cada uma delas! hehe), mas se vc não é do tipo disciplinada e sim é do tipo que dá desculpas (vc não precisa admitir isso pra ngm, só pra vc mesma), não vai dar certo, certo? Então, procurar um psicólogo pode ser a melhor opção!

.

No meu caso, mesmo sendo do tipo disciplinada, eu procurei um terapeuta. Ele não esteve comigo em todos os momentos, mas nos que eu precisei, ele foi mesmo muito precioso. Foi muito importante pra mim descobrir a causa do meu vaginismo (que aliás tava na minha cara, mas eu não pude ver sozinha) e hoje sou uma mulher completamente diferente e creio que essa mudança no meu jeito de me ver contribuiu muito pra minha cura. Ou seja, apesar de tudo o que eu disse, no meu caso valeu muito a pena! Então cabe a você decidir, dentro das suas possibilidades, o que fazer diante disso, né? Só não pode ficar parada! Bora tomar uma atitude, hein?

.

Bjs

.

Post criado e publicado em data aleatória para atender ao post principal do FAQ (Frequently Alked Questions). Se você chegou aqui por outro meio, ou quer voltar ao post principal, clique aqui.

14 comentários:

Guantes De Latex disse...

Well to be honest this is first time before that I had never heard a case like that and not even know what to recommend but still advise to visit a doctor.

Daniela Barros disse...

Thanks for your comment, Guantes!

Harley Street Psychotherapist disse...

So sad, its really being painful for whats going on but still you have to stay brave against that. There is nothing impossible in this world.

Daniela Barros disse...

Hi, Harley Street Psychotherapist!
Thanks for your comment!

Tourism Authority of Thailand Medical Travel and Information disse...

Oh hun! I am so sorry to hear about what you are going through.....hugs!!!!!!!

Hayná disse...

Olá...descobri que tenho vaginismo há uns dois meses,depois de umas tentativas frustradas de um primeira relação.Infelizmente,quem tava comigo na epoca abandonou o barco,mas pra minha sorte descobri logo,com um ginecologista muito bom,fora de serie na verdade.Meu problema é que não tenho dinheiro pra pagar as seções nem os dilatadores,mas vou tentar começar ao menos com os exercícios simples(o cotonete,ou o dedo...até ja comprei um OB mini...rs).
Espero voltar pra contar algo positivo.E estou muito feliz por ter encontrado o blog.Obrigada
Hayná

Flights to Lagos disse...

This was a conviction be told great read, thanks for captivating the time to put it together! Touched on some very good...

Cheap Flights to Nigeria disse...

WOW I must they are very dashing in their looks and I hope my fishes will also be very happy when they got into their new house, thanks to you buddy...

Daniela Barros disse...

Hi, Tourism Authority of Thailand Medical Travel and Information!
Thanks for commenting!
Hugs

Oi, Hayná!
Que bom que vc achou um médico que te deu o diagnóstico. Este é um dos passos mais difíceis, sabia? Agora é ir atrás dos exercícios e persistir! Mesmo sem dinheiro dá pra comprar umas próteses em sexy shop que são BEM mais baratas que o kit de dilatadores... Quando vc já estiver bem prática com esses objetos que vc falou, pode tentar assim...

Hello, Flights to Lagos!
Thanks for your compliment!

Hello, Cheap Flights to Nigeria!
Thanks for commenting!

Anônimo disse...

Não sei se tenho vaginismo. Sempre fui bem a vontade com meu corpo, gostei de sexo. Estou com meu marido ha quase 4 anos, e no ultimo ano, não consigo mais a penetração, dói muito e acabo por pedir pra ele tirar. Achei que fosse algo fisico, como uma infecção e no começo do ano fui no ginecologista e sabem como é o SUS né (não tenho plano de saúde e na época tava desempregada), levou meses pro resultado ficar pronto e como o resultado foi apenas uma leve infecção, um papa nicolau de grau 3, aí fui orientada a repetir o exame depois de 6 meses, pois essas infecções podem se curar sozinhas. Aí mais 6 meses sem transar, junto com todos aquele problemas ciúmes, medo de traição, impaciência por parte dele. No final dos 6 meses (em setembro) já estava trabalhando então fui num médico melhor, repeti o exame, tinha dado uma melhorada mas a infecção ainda existia, me foi recomendado outros exames pra confirmar o agente causador, aí isso levou mais um tempo. Nosso relacionamento foi se agravando a ponto de ele falar que uma amiga dele que eu morro de ciúmes é mais bonita que eu. Enfim, já estou curada da infecção, e fomos tentar transar, mas a dor continuou, então acredito que estou com algum "trauma" não sei se é vaginismo, em decorrencia de tanto tempo sem sexo, dos medos desse período e principalmente da não compreensão do meu parceiro. Hoje tentamos mais uma vez, eu estava excitada, super molhada, estava bem com ele, pois tem algum tempo que não brigamos mais, e mesmo assim não deu. Ele ficou mal comigo e pedi pra ele me ajudar a resolver isso e ele disse que nao sabe como e se virou. Agora pouco encontrei uma matéria de um psicologo (alias meu marido faz psicologia) falando sobre dores na relação (não só vaginismo) e como é importante o apoio do parceiro, caso não tenha, a situação pode se agravar. Enviei essa matéria pra ele e ele me respondeu "então vou ter que te ajudar senao vc piora?" Sabe, na maior má vontade... Estou muito mal com isso, tenho a sensação de que essa doe é decorrente dessa infelicidade que estou com ele.

Anônimo disse...

existe anestesico liquido para facilitar?

Anônimo disse...

Tenho o problema desde sempre e só agora resolvi me tratar com um terapeuta e mais tarde com fisioterapia uroginecológica. Quando eu terminar o tratamento eu falo como foi.

Anônimo disse...

Fui a primeira consulta com um psicólogo sexólogo e estou bem animada! Tenho um "ficante", que sabe do problema e ele está bastante empolgado , com disposição para "colaborar". Deste ano não passa! Farei os exercícios que o dr. recomendou.

Anônimo disse...

Boa noite tenho 48 anos e tenho vaginismo ja fiz fisioterpia pelvica estou no ultimo dilatador, mas eu ainda sinto muita dor meu namorado me disse que se ele não me tiver por inteiro ele não vai querer pela metade , estou desesperada não sei mais o que fazer estou tentado arrumar um psicologo mas o meu convenio só tem em São Paulo não sei o que fazer...

Postar um comentário

Que bom que vc decidiu compartilhar sua luta comigo! Vamos vencer, tenho certeza!
Agora eu aprendi, então, depois de comentar, pode voltar aqui que vai ter uma respostinha minha, tá?
Bjs